Notícias » Espaço

Detritos de foguete chinês atingem vilarejos da Costa do Marfim

O lixo espacial já estava em órbita terrestre há uma semana, mas voltou à atmosfera de forma imprevisível e caiu em alta velocidade

Pamela Malva Publicado em 13/05/2020, às 13h30 - Atualizado às 13h49

Imagem meramente ilustrativa de foguete
Imagem meramente ilustrativa de foguete - Divulgação/Pixabay

Após quase uma semana vagando pela órbita da Terra, detritos de um foguete chinês entraram novamente na atmosfera e caíram sobre a África Ocidental. Em um a trajetória imprevisível, os corpos metálicos danificaram alguns vilarejos.

Inicialmente, o foguete Long March 5B foi lançado pela China a fim de testar uma cápsula espacial em órbita, no dia 5 de maio. Quando se desprendeu do veículo, o estágio principal do foguete virou lixo espacial.

Devido ao imprevisível clima na órbita da Terra, no entanto, o enorme corpo, com quase 20 toneladas, reentrou na atmosfera. Graças à queda em alta velocidade, o objeto metálico queimou e se despedaçou, criando detritos menores.

Detritos fotografados por moradores da Costa do Marfim / Crédito: Divulgação/Twitter

 

Segundo testemunhas oculares, o grande corpo foi visto voando sobre os Estado Unidos meia hora antes de atingir a costa da África. “Ele passou 170 km diretamente sobre o Central Park”, contou o cientista espacial Jonathan McDowell, em seu Twitter.

Logo em seguida, moradores da Costa do Marfim relataram numerosos detritos metálicos caindo do céu. Entre os objetos, os habitantes dos vilarejos encontraram um cano de 12 metros de comprimento.

O enorme corpo espacial chinês foi o maior e mais pesado lixo espacial que já atingiu a terra nas últimas três décadas. Felizmente, apenas casas e objetos foram danificados e ninguém ficou ferido com a queda dos detritos.