Notícias Nazismo

Diplomata britânico compara Copa da Rússia às Olimpíadas da Alemanha Nazista

Declaração agrava crise causada pelo envenenamento do dissidente russo Sergei Skripal em território britânico

quinta 22 março, 2018
Vladimir Putin foi comparado com Hitler
Vladimir Putin foi comparado com Hitler Foto:Wikimedia Commons

O Secretário de Assuntos do Exterior britânico, Boris Johnson, comparou a Copa do Mundo da Rússia, agendada para junho e julho deste ano, com os Jogos Olímpicos de 1936, que aconteceram na Alemanha nazista. Segundo ele, o presidente russo, Vladimir Putin, planeja usar a Copa para promover a imagem do país, tal e qual Adolf Hitler.

A declaração foi feita na última quarta-feira, 21 de março, durante uma sessão de inquérito parlamentar. “Acho que a comparação é certamente adequada”, afirmou o diplomata. “Pensar em Putin se glorificando com esse evento esportivo é uma ideia nauseante.”

Veja mais

Em Moscou, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, reagiu dizendo que a analogia é nojenta, insultante e inaceitável. “Não é própria de um ministro das Relações Exteriores, do país que seja.”

Boris Johnson Reprodução/BBC

Gasolina no incêndio

A comparação aumenta a tensão entre Londres e Moscou, que trocam acusações desde o envenenamento do ex-oficial da inteligência militar russa Sergei Skripal, recrutado nos anos 1990 pelo serviço secreto britânico MI6, e sua filha Yulia. Os dois foram encontrados inconscientes em 4 de março, em Salisbury, Inglaterra, e ainda estão hospitalizados em situação crítica.

Johnson acusa a Rússia de tentativa de assassinato – Skripal e Yulia teriam sido envenenados com um agente neurotóxico do grupo Novichok, desenvolvido pelos russos. Para o chefe da diplomacia britânica, o envenenamento foi uma mensagem a possíveis desertores russos. “Acho que foi um sinal que o presidente Putin ou o Estado russo quiseram enviar, de que é isso o que acontece se decidirem apoiar um país com valores diferentes, como o nosso.” O ataque também teria sido ordenado para ajudar na reeleição de Putin.

A Rússia nega qualquer envolvimento no ataque, e acusa o Reino Unido de tirar suas conclusões sem nenhuma evidência. Cada país expulsou 23 diplomatas de suas embaixadas.

Johnson disse ainda que a Inglaterra não enviará ministros ou membros da família real em delegações à Copa na Rússia, mas que seria injusto com os jogadores e torcedores se a seleção inglesa cancelasse sua participação no Mundial. “Nós precisamos ter uma conversa urgente com os russos sobre como eles pretendem cumprir com suas obrigações e proteger nossos torcedores que vão viajar para assistir à Copa”, afirmou o secretário.

Na Eurocopa de 2016, na França, torcedores ingleses e russos protagonizaram casos de violência nos estádios e em cidades próximas. Ambas as seleções foram ameaçadas de desclassificação pela UEFA caso os tumultos continuassem, e 50 fãs russos foram deportados.

Um pouco de História

Hitler fez das olimpíadas de Berlim, em 1936, uma plataforma para exibir a superioridade "ariana". A cineasta do nazismo, Leni Riefenstahl, tirou disso Olympia, um filme de propaganda tão significativo quanto o famoso Triunfo da Vontade, do ano anterior. Famosamente, o ditador teve de aturar um negro americano, Jesse Owens, levar as medalhas em atletismo.,

Não é o primeiro incidente de envenenamento na Grã Bretanha da era Putin. Em 2006, o dissidente Alexander Litvinenko foi evenenado com polônio-210 e seu corpo estava tão radioativo que os cientistas tiveram de usar trajes especiais na autópsia. Nos tempos soviéticos, em 1978, o escritor búlgaro Georgi Markov foi envenenado com uma cápsula de ricina disparada de um guarda-chuva. Segundo o dissidente Oleg Kalugin, a KGB forneceu o plano aos búlgaros. 

Letícia Yazbek


Leia Mais:

Receba em Casa

Vídeos

Mais Lidas

  1. 1 Crianças que nasceram como resultado do horrível programa Há 82 anos, nazistas começavam seu repugnante programa de ...
  2. 2 Os quatro milênios da Babilônia
  3. 3 Uma tempestade chamada Pagu
  4. 4 Inquisição: A fé e fogo
  5. 5 Marginália: As alucinadas ilustrações dos livros medievais