Notícias » Crimes

Diretor da Yakuza é condenado à morte após julgamento no Japão

Além do líder, o vice-diretor do bloco foi sentenciado à prisão perpétua por episódios de violência

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 25/08/2021, às 12h52

Líder saindo do tribunal
Líder saindo do tribunal - Divulgação / YouTube / NHK

Um dos principais coordenadores da Yakuza, maior grupo criminoso do Japão, foi condenado à morte em um tribunal em Fukuoka após ser considerado culpado por quatro episódios de ataques físicos, com um deles resultando no óbito da vítima.

O homem, identificado como Nomura Satoru, 74, nega o envolvimento, como relata o portal UOL.

Nomura dirigia o sindicato responsável pela operação do grupo no sudoeste do Japão, cujo bloco é identificado como Kudo-kai. O vice-líder e braço direito do condenado no bloco, Fumio Tanoue, também teve a participação nos crimes confirmada, mas foi condenado à prisão perpétua.

O juiz responsável pelo caso, Ben Adachi, chegou a classificar as ações como "extremamente cruéis" e enalteceu que as provas apontam a ordenação dos ataques pelo réu.

Porém, após proferir a sentença, Nomura usou de intimidação para repreender a decisão: "Pedi uma decisão justa. Você vai se arrepender disso pelo resto da vida", disse o condenado.

A imprensa local, que pôde acompanhar o julgamento, relata que as acusações foram formalizadas através de uma ligação de casos; dois espancamentos, em 2013 e 2014, sendo de uma enfermeira e um dentista, respectivamente, além de dois ataques a tiros contra um ex-policial, em 2012, e um ex-chefe de uma cooperativa de pesca em 1998, este último vindo a falecer.