Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Diretora é esfaqueada por aluno em escola de Caraguatatuba

O caso aconteceu na noite da última terça-feira, 22

Redação Publicado em 23/02/2022, às 15h00

Imagem meramente ilustrativa de jovens em corredor - Divulgação/ Pixabay/ igorovsyannykov
Imagem meramente ilustrativa de jovens em corredor - Divulgação/ Pixabay/ igorovsyannykov

Na noite da última terça-feira, 22, a diretora de uma escola em Caraguatatuba, em São Paulo, foi atacada por um dos alunos da instituição. Segundo o UOL, o suspeito — um jovem de 16 anos — esfaqueou a profissional, atingindo-a em diversas partes do corpo.

Tudo aconteceu na porta da Escola Estadual Professor Ângelo Barros de Araújo, no litoral norte de São Paulo. Na ocasião, o estudante atingiu o abdômen, as costas, o braço e a perna da diretora, que foi levada para o Hospital Dr. José de Carvalho Florence.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, a profissional, que não teve sua identidade revelada, continua internada no Hospital. Não foram divulgadas, no entanto, novas informações sobre seu estado de saúde.

Ainda de acordo com o UOL, as aulas na escola onde tudo aconteceu foram suspensas na manhã desta quarta-feira, 23. Agora, os alunos devem continuar com as atividades do ano letivo através de aulas online, pelo Centro de Mídias de SP.

O adolescente suspeito, por outro lado, foi detido e encaminhado ao plantão de Caraguatatuba e, por ser menor de idade, também teve sua identidade preservada. O caso, então, foi registrado como um ato infracional de tentativa de homicídio.

Diante do ocorrido, a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) emitiu uma nota oficial, afirmando que "repudia todo e qualquer tipo de violência dentro e fora das escolas e lamenta o ocorrido na noite de ontem".

"A Seduc-SP já está em contato com os familiares da servidora prestando o apoio. A equipe do Conviva, Programa de Melhoria da Convivência e Proteção Escolar da Secretaria, e Polícia Militar foram acionadas e seguem a caminho da unidade para suporte à comunidade escolar", afirmou a secretaria, por fim.