Notícias » América Latina

Divulgada pelo Paraguai, lista de fugitivos do PCC acusou nomes que não estão associados

O erro grave ocorreu após 75 presos fugirem de uma penitenciária; entre os nomes, um idoso que sofre de Mal de Parkinson

André Nogueira Publicado em 04/02/2020, às 13h31

PCC - Primeiro Comando da Capital
PCC - Primeiro Comando da Capital - Divulgação/Youtube

A Polícia Nacional do Paraguai divulgou uma lista com 75 fugitivos de uma prisão em Pedro Juan Caballero, relacionados a fuga do Primeiro Comando da Capital. Porém, entre os nomes informados, dois são de cidadãos que não apresentaram nenhuma ligação com o crime: o primeiro, pasteleiro de Bella Vista do Norte, Alberto Ariel Cristaldo Valiente, e o outro, um idoso que sofre de Parkinson há cinco anos, Enrique Duarte Ramírez.

A lista, divulgada em vários jornais do país, é fruto de uma contagem feita rapidamente, segundo carcereiros entrevistados pelo UOL. Porém, as autoridades paraguaias não se pronunciaram de imediato sobre os nomes confundidos. O erro só foi admitido dois dias depois da confusão.

Buraco por onde 75 fugitivos escaparam / Crédito: Divulgação/Youtube

 

O documento foi retificado logo depois, segundo afirma Hugo Volpe, vice-ministro de Política Criminal do Paraguai. Mesmo assim, Cristaldo Valiente e Ramírez prestaram queixa por ter seus nomes e imagens associadas ao PCC. Ramirez, cuja família afirmou que trabalha, com restrições devido à doença, numa fazenda local, teria sido preso uma única vez, mas por fazer parte da oposição durante a Ditadura Stroessner.

O governo paraguaio não se ofereceu em nenhum sentido para ressarcir ou amparar os dois prejudicados, e tampouco foi divulgado qualquer pedido de desculpas.  “Sou uma pessoa trabalhadora e honesta. Estão fazendo um grande dano para a minha família e minha pessoa. Tenho como provar onde trabalho e onde vivo", afirmou Cristaldo Valiente.