Notícias » Mundo animal

Do tamanho da unha do polegar: 6 novos sapos são identificados no México

Novos anfíbios possuem uma peculiaridade que os diferem de outros tipos de sapo

Fabio Previdelli Publicado em 28/04/2022, às 17h21

Um dos novos sapos encontrados
Um dos novos sapos encontrados - Jeffrey W Streicher/Museu de História Natural de Londres

Com pouco menos de 1,5 centímetros de comprimento, do tamanho de uma unha do polegar. A dimensão pode ser inexpressiva, mas o fato é muito maior do que parece. Afinal, esse é o tamanho de 6 novas espécies de sapo que foram encontradas no México, em uma zona florestal. 

Chamados pelos nomes científicos de ‘Craugastor bitonium’, ‘Craugastor cueyatl’, ‘Craugastor polaclavus’, ‘Craugastor portilloensis’, ‘Craugastor rubinus’ e ‘Craugastor candelariensis’, mais detalhes sobre essas criaturas minúsculas foram detalhadas em artigo publicado no jornal Herpetological Monographs.

De acordo com os pesquisadores, os machos adultos da última espécie, ‘Craugastor candelariensis’, são os menores entre todos os outros, alcançando apenas 1,3 centímetro. Um fato curioso dos novos anfíbios é que eles não viram girinos para depois se desenvolverem como sapos. Afinal, todos eles já saem de seus ovos como 'mini-sapinhos'. 

Segundo o líder do estudo, Tom Jameson, pesquisador do Departamento de Zoologia da Universidade de Cambridge, as novas espécies, pelo fato de serem pequenas e marrons, eram comumente confundidas com outros sapos já conhecidos. Mas isso tudo mudou depois do estudo. "O estilo de vida deles é absolutamente fascinante", diz.

Um dos novos sapos encontrados/ Crédito: Jeffrey W Streicher/Museu de História Natural de Londres

Esses sapos vivem no escuro e úmido lixo das florestas, que é como um mundo secreto — nós realmente não sabemos nada sobre o que acontece lá. Não entendemos seu comportamento, como eles se socializam ou como eles se reproduzem”, completa. 

A pesquisa

Para entender melhor os novos sapos, os estudiosos coletaram cerca de 500 espécimes de sapos em museus espalhados por todo o México. Desta forma, conseguiram classificá-los em pequenos grupos baseados nas semelhanças entre seus genes.

Após esse processo, foram criados modelos em 3D dos esqueletos de cada uma das espécies, o que permitiu uma comparação com detalhes físicos e não somente biológicos. A partir daí foi possível determinar as novas espécies. 

Um dos novos sapos encontrados/ Crédito: Jeffrey W Streicher/Museu de História Natural de Londres

"Os sapos do grupo conhecido como Craugastor são muito difíceis de distinguir, então os cientistas suspeitam há muito tempo que mais espécies podem existir. Estamos realmente empolgados por ter descoberto seis novas espécies de Craugastor que são completamente novas para a ciência", aponta Tom.