Notícias » Arqueologia

Documentário mostra descoberta da cova de importante explorador que nomeou a Austrália

Os restos mortais de Matthew Flinders estavam na cidade de Londres e foram expostos durante escavações para instalar uma linha ferroviária

Ingredi Brunato Publicado em 22/09/2020, às 13h35

Fotografia da estátua de Flinders e seu gato (que foi com ele na expedição à Austrália) na estação de Euston, na Inglaterra.
Fotografia da estátua de Flinders e seu gato (que foi com ele na expedição à Austrália) na estação de Euston, na Inglaterra. - Wikimedia Commons

Nesta terça à noite, dia 23, vai ao ar na BBC do Reino Unido o esperado documentário HS2 - The Biggest Dig, que mostra, entre outras coisas, o momento da descoberta do local onde está sepultado Matthew Flinders, capitão da Marinha Real que liderou primeira expedição marítima à Austrália, entre 1801 e 1803, além de ter dado o nome do país. 

A escavação que revelou o lugar onde o explorador conheceu seu destino final, que tinha inclusive ganhado o status de lenda urbana na Inglaterra ao longo dos anos, foi feita em janeiro deste ano, durante o projeto de instalação de uma nova linha ferroviária em Londres.

Enterrada junto com o capitão, estava também uma placa de metal o identificando. “A capacidade de documentar isso, por meio do peitoral intacto, foi particularmente emocionante para os arqueólogos que trabalharam no projeto”, comentou Mike Court, arqueólogo liderando escavações, conforme apurado pela 9 News

A expedição liderada por Flinders foi a primeira conhecida a navegar por toda a costa da Austrália, e o capitão acabou se tornando uma figura histórica nacional de relevância no Reino Unido, com seu nome podendo ser achado nomeando estações de trem e até cidades britânicas.