Notícias » Afeganistão

Dois jornalistas afegãos são espancados sob custódia do Talibã

Os homens foram detidos durante o protesto das mulheres em Cabul

Luíza Feniar Migliosi sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 09/09/2021, às 13h27

Dois jornalistas afegãos são espancados sob custódia do Talibã
Dois jornalistas afegãos são espancados sob custódia do Talibã - Divulgação/Youtube Radio Free Europe/Radio Liberty

Dois jornalistas afegãos foram espancados sob custódia policial depois de cobrir um protesto das mulheres nesta semana em Cabul, onde foram detidos pelo Talibã, afirmou o editor, de acordo com a Reuters.

Zaki Daryabi, fundador e editor-chefe do jornal Etilaat Roz, compartilhou imagens nas redes sociais de dois repórteres, um com grandes vergões vermelhos na parte inferior das costas e pernas e o outro com marcas semelhantes no ombro e no braço.

Os rostos de ambos os homens também estavam machucados e cortados. As fotos foram verificadas pela Reuters.

Quando questionado sobre o incidente, um ministro interino do Talibã, nomeado quando o novo governo foi anunciado nesta semana, afirmou que qualquer ataque a jornalistas seria investigado.

Daryabi relatou que os espancamentos enviaram uma mensagem assustadora à mídia no Afeganistão, onde uma imprensa independente, em grande parte financiada por doadores ocidentais, floresceu nos últimos 20 anos.

"Cinco colegas foram mantidos em um centro de detenção por mais de 4 horas, e durante essas quatro horas dois de nossos colegas foram espancados e torturados brutalmente", afirmou à Reuters.

Ele acrescentou que os repórteres feridos foram levados ao hospital e aconselhados pelos médicos a descansar por duas semanas.

OTalibãhavia prometido permitir que a mídia operasse respeitando os direitos humanos das pessoas. Porém, os incidentes de abuso desde que chegaram ao poder levantaram dúvidas entre os afegãos.

Taqi Daryabi, um dos dois jornalistas do Etilaat Roz, contou que sete ou oito pessoas os espancaram por cerca de 10 minutos.

"Eles levantavam paus e nos espancavam com toda a força. Depois que nos derrotaram, viram que tínhamos desmaiado. Levaram-nos para nos trancar em uma cela com alguns outros", afirmou.

"Com o colapso repentino do governo, Etilaat Roz decidiu inicialmente ficar e operar na esperança de que não houvesse grande problema para a mídia e os jornalistas", disse Daryabi. "Mas com o incidente de ontem, aquela pouca esperança que eu tinha para o futuro da mídia e dos jornalistas no país foi destruída."