Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Morte

Dois meses após histórica cirurgia, homem que recebeu rim de porco morre

O primeiro homem a receber um rim de porco faleceu no último sábado após ter ficado com o órgão no corpo por apenas dois meses; entenda!

Richar Slayman, primeiro homem a receber rim de porco - Reprodução / Hospital Geral de Massachusetts
Richar Slayman, primeiro homem a receber rim de porco - Reprodução / Hospital Geral de Massachusetts

Após dois meses da histórica cirurgia de xenotransplante, o primeiro homem a receber um rim de porco, aos 62 anos, faleceu. Richard Slayman, residente nos Estados Unidos, submeteu-se ao procedimento no Massachusetts General Hospital em março, com a perspectiva de uma sobrevida de pelo menos dois anos com o órgão.

A notícia do óbito foi confirmada pelo hospital e pela família do paciente no sábado, 11. Parentes de Slayman emitiram uma declaração de agradecimento à equipe médica por estender a vida do paciente:

O enorme esforço deles (equipe médica) ao comandar o xenotransplante deu à nossa família várias semanas adicionais com Rick, e nossas lembranças produzidas durante esse período vão seguir nas nossas mentes e nos nossos corações", escreveram.

Slayman enfrentava uma batalha contra doença renal crônica terminal, diabetes tipo 2 e hipertensão. Em 2018, ele havia recebido um rim transplantado de um doador humano, após sete anos de diálise. Contudo, o órgão apresentou sinais de falência cerca de cinco anos depois, e o paciente retornou à diálise em maio de 2023.

Poucas alternativas

Devido às poucas alternativas disponíveis, Slayman optou pelo procedimento experimental. Problemas nos vasos sanguíneos tornaram a diálise difícil, e a espera por um rim doado foi longa. O rim utilizado no transplante veio de um porco geneticamente modificado pela empresa de biotecnologia eGenesis.

Os cientistas modificaram o porco removendo três genes que poderiam desencadear a rejeição do órgão, inserindo sete genes humanos para aumentar a compatibilidade e inativando retrovírus porcinos que poderiam infectar humanos.

A cirurgia, conduzida por uma equipe liderada pelo brasileiro Leonardo V. Riella, do Hospital Geral de Massachusetts, durou quatro horas. No entanto, Slayman apresentou sinais de rejeição no oitavo dia pós-cirurgia, de acordo com o portal O Globo.

Sinais de funcionamento

Apesar de dois xenotransplantes anteriores de órgãos de porcos geneticamente modificados terem falhado, o rim transplantado para Slayman demonstrou sinais de funcionamento adequado, conforme relatado por seus médicos. A equipe médica do hospital expressou profunda tristeza pela perda de Slayman, mas afirmou que não há indicação de que o falecimento esteja relacionado ao transplante recente.

"Slayman será visto para sempre como um símbolo de esperança aos inúmeros pacientes de transplante no mundo todo, e temos uma gratidão profunda por sua confiança e disponibilidade para fazer avançar o campo dos xenotransplantes", escreveram em nota.