Notícias » Paleontologia

Dois mil fósseis são encontrados por paleontólogos na Austrália

As descobertas se deram no local onde, há 15 milhões de anos, existiu uma rica floresta tropical

Redação Publicado em 11/01/2022, às 11h00

Pesquisador Matthew McCurry no local das escavações
Pesquisador Matthew McCurry no local das escavações - Divulgação / Salty Dingo / Museu Australiano

Uma equipe de paleontólogos encontrou cerca de dois mil fósseis pré-históricos em um local da Austrália onde, há 15 milhões de anos, teria existido uma floresta tropical. Entre os achados estão os restos mortais de aranhas, cigarras, moscas e peixes.

A descoberta do ecossistema, que se deu na região conhecida como McGraths Flat, foi divulgada por um artigo publicado na última sexta-feira, 7, na revista Science Advances.

Flor fossilizada / Crédito: Divulgação / Michael Frese

 

Utilizando-se de um microscópio eletrônico e também de técnicas de microfotografia, Michael Frese, um dos autores da pesquisa, foi capaz de observar um aglomerado de pólen na cabeça de uma mosca-serra (Symphyta).

“Podemos dizer qual flor foi visitada por esta mosca-serra em particular antes que ela caísse na água e encontrasse seu fim prematuro”, disse o pesquisador, conforme informações da Revista Galileu. Frese ainda ressaltou que tal constatação somente foi possível porque o fóssil foi encontrado em excelente estado de conservação.

Besouro Fossilizado / Crédito: Divulgação / Michael Frese

 

Contudo, os cientistas afirmam que grande parte do pólen encontrado nos fósseis são de plantas do deserto, o que os leva a crer que a floresta tropical era cercada por regiões áridas. Há a hipótese, inclusive, de que ela teria começado a secar em razão de mudanças climáticas, o que poderia nos ajudar a entender as alterações atuais no clima.

"A mudança climática do Mioceno e o evento de extinção do Mioceno são bons para estudar, eu acho, porque a flora e a fauna no Mioceno são bastante semelhantes às que temos agora”, declarou Frese, em entrevista ao site Business Insider.

A equipe agora busca por sítios arqueológicos com fósseis semelhantes, que possam auxiliar na compreensão dessas mudanças ocorridas no passado.

Confira o estudo completo por meio deste link.