Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Dom Luiz de Orleans e Bragança

Dom Luiz de Orleans e Bragança não estava no ramo que recebe o laudêmio

Dom Luiz de Orleans e Bragança faleceu nesta sexta-feira, 15, aos 84 anos

Luisa Alves, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 15/07/2022, às 17h37

Dom Luiz de Orleans e Bragança - Reprodução/Redes Sociais
Dom Luiz de Orleans e Bragança - Reprodução/Redes Sociais

O bisneto da Princesa Isabel, Dom Luiz de Orleans e Bragança, chefe da Casa Imperial, e herdeiro da família imperial, faleceu aos 84 anos em São Paulo, conforme divulgado pela Casa Imperial através de comunicado.

"Cumprimos o doloroso dever de comunicar o falecimento de Sua Alteza Imperial e Real o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, que, hoje, dia 15 de julho de 2022, na cidade de São Paulo, aos 84 anos de idade, confortado com os Sacramentos da Santa Igreja e a Bênção Apostólica, Deus Nosso Senhor teve por bem chamar a Si", diz o comunicado. 

Nos comentários do Facebook oficial do site Aventuras na História, muitos leitores insinuaram ou questionaram se também Dom Luiz de Orleans e Bragança recebia o laudêmio.

O laudêmio, também conhecido como 'Taxa do Príncipe', gerou polêmicas em março com as chuvas em Petrópolis, cidade onde está o Museu Imperial, após uma publicação de Dom Bertrand de Orleans, em apoio à população afetada. Muitos acreditavam que o descendente da família imperial, recebia a taxa. 

Esse valor desembolsado pelos moradores da cidade que desejam comprar um imóvel, corresponde ao recebimento de 2,5% do valor de mercado por parte dos descendentes do último imperador do país, que controlam a Companhia Imobiliária de Petrópolis.

Mas após a polêmica em decorrência de sua publicação em apoio à população afetada pelas chuvas em Petrópolis, em resposta, Dom Bertrand de Orleans comentou em sua conta no Twitter, que sua família imediata não recebe a taxa. Ou seja, Dom Luiz de Orleans e Bragança também NÃO recebia o laudêmio.

"Em virtude de comentários recentes, esclareço que minha Família imediata (meus irmãos, sobrinhos e eu) não recebe quaisquer quantias referentes ao laudêmio percebido pela Companhia Imobiliária de Petrópolis", escreveu. "Meu saudoso pai, o Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil entre 1921 e 1981, vendeu todas as suas ações da dita Companhia Imobiliária ainda na década de 1940", completou.

Quem recebe o laudêmio? 

O site de Luiz Philippe de Orleans e Bragança, existe uma seção na qual é documentado o ramo dos descendentes de Dom Pedro II que recebe o laudêmio. Nela, há espaço para perguntas e respostas a respeito da "Taxa do príncipe".

"Apenas o ramo de Petrópolis recebe laudêmio. O ramo de Vassouras, da qual Luiz Philippe pertence, não o recebe", explica o texto. Com isso, Dom Luiz de Orleans e Bragança não era contemplado com o valor.

Nesse site também há uma explicação sobre a taxa não ser um imposto: "O laudêmio NÃO é um imposto, mas sim uma espécie de aluguel diferido, pago somente em caso uma transação", diz o texto.