Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Doria anuncia retorno ao setor privado: 'Não significa para sempre'

Ex-governador afirmou ainda que continuará filiado ao PSDB, após desistir da presidência

Redação Publicado em 13/06/2022, às 14h09

O ex-governador de São Paulo João Doria - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
O ex-governador de São Paulo João Doria - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O ex-governador de São Paulo João Doria anunciou nesta segunda-feira, 13, seu retorno ao setor privado depois de desistir oficialmente de concorrer à Presidência da República por seu partido, o PSDB.

Em um evento com jornalistas e políticos, realizado em um hotel na capital paulista, Doria disse que permanecerá filiado ao partido e que seu retorno à iniciativa privada não “significa para sempre”.

O ex-prefeito de São Paulo deverá atuar como conselheiro no grupo empresarial Lide, do qual é um de seus fundadores. Ainda segundo ele, o trabalho não será remunerado.

“Não vou sair do Brasil, continuarei aqui. Voltando ao setor privado de onde vim. A partir de agora, retorno para minha vida privada”, afirmou ao UOL. "Por enquanto, sigo na iniciativa privada. Mas não significa para sempre. Continuo filiado ao PSDB".

"Recebi o convite ao lado de Henrique Meirelles [ex-secretário da Fazenda do Estado de São Paulo]. A partir de primeiro de julho, sem nenhuma função executiva e sem nenhuma remuneração também”, explicou.

Desistiu da presidência

Doria havia vencido as prévias do partido no fim de 2021 e renunciado ao governo de São Paulo em março para poder concorrer ao cargo de presidente da República. No entanto, acabou enfrentando críticas dentro do próprio PSDB.

Durante o evento, o ex-governador destacou como existiu contra ele "oposição bastante substantiva inclusive dentro do meu partido".

Foi em maio deste ano que o político desistiu oficialmente de ser candidato, pouco antes de a sigla anunciar apoio à senadora Simone Tebet, do MDB, como o nome da aliança entre o MDB, PSDB e Cidadania.