Notícias » Estados Unidos

Durante discurso, Joe Biden afirma que irá pressionar a Rússia a respeitar os direitos humanos

O presidente norte-americano irá se encontrar com o líder russo, Vladimir Putin, em junho; Biden afirma que não permitirá abusos

Redação Publicado em 31/05/2021, às 07h46

Fotografia de Putin (esq) e Biden (dir)
Fotografia de Putin (esq) e Biden (dir) - Kremlin.ru / Adam Schultz / Wikimedia Commons

De acordo com informações publicadas na tarde do último domingo, 30, pelo portal de notícias G1, durante um discurso em homenagem ao feriado Memorial Day, o presidente dos EUA, Joe Biden, voltou a criticar a postura da Rússia em relação ao respeito dos direitos humanos.

Segundo revelado na publicação, na ocasião, o democrata afirmou que irá pressionar a Rússia a respeitar os direitos humanos. Biden reiterou que seu país não irá tolerar a violação de tal tema:

"Vou me encontrar com o presidente Putin daqui a algumas semanas em Genebra, deixando claro o que não faremos, não ficaremos parados e permitiremos que ele abuse desses direitos", revelou.

Durante o discurso, o norte-americano se referiu ao encontro como líder russo, Vladimir Putin, que está marcado para acontecer no dia 16 de junho, em Genebra, na Suíça. Sabe-se que atualmente, ambas as nações vivenciam um momento de tensão diplomática, por isso, existem muitas expectativas em relação ao encontro.

Desde que assumiu a presidência, em janeiro deste ano, Biden mudou a postura do governo anterior em relação à Rússia. Por acreditar que russos tentaram interferir nos resultados das eleições presidências dos EUA em 2020, com ataques virtuais contra agências governamentais do país, Joe impôs sanções contra Moscou.

Além disso, de acordo com a reportagem, em entrevista, o democrata já afirmou que Putin poderia ser descrito como um assassino, além de criticar a postura do governo russo em relação ao opositor Alexei Navalny. A Rússia, por sua vez, afirmou formalmente que os Estados Unidos são uma nação “hostil”.


Sobre Joe Biden 

No dia 7 de novembro, a projeção da agência Associated Press confirmou que o candidato democrata Joe Biden conseguiu atingir 274 delegados — 4 a mais do que o necessário —, sendo eleito o 46º presidente dos Estados Unidos. O presidenciável disputava a vaga contra o republicano Donald Trump, que buscava a reeleição. 

O anúncio da vitória ocorreu após o término da apuração no estado da Pensilvânia. Biden também venceu na contagem de votos totais, com mais de 4 milhões de votos. Veículos como a CNN, The New York Times e NBC apontaram a vitória do democrata.

Joe Biden não apenas será responsável por tirar o título do ex-apresentador de ‘O Aprendiz’, como também baterá um recorde do antecessor: Será o mais velho a assumir o cargo de presidente dos Estados Unidos. Trumpjá havia declarado vitória no dia 4 de novembro, antes mesmo do encerramento da apuração.

Formado em história, ciência política e direito, Biden atuou por algum tempo como advogado antes ir para a área da política. Ele foi um senador bem-sucedido, certa vez tendo até seis mandatos consecutivos. 

As duas últimas vezes que tentou concorrer à presidência, não teve sucesso. Foi nessa segunda tentativa, inclusive, que ele se aproximou de Barack Obama, e os dois políticos acabaram formando a chapa que venceu as eleições de 2008 nos Estados Unidos. Biden foi o vice de Obama durante seus dois mandatos.