Notícias » Estados Unidos

Durante discurso, Trump acusa manifestantes antirracistas de tentarem apagar memória americana

Presidente dos EUA também declarou que atos não passam de uma "revolução cultural de esquerda"

Fabio Previdelli Publicado em 04/07/2020, às 12h30

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos - Getty Images

Durante seu discurso no feriado de 4 de julho, o presidente americano Donald Trump criticou a onda de protestos antirracismo que tomaram o país após a morte de George Floyd. Segundo o líder, tudo não passa de uma "revolução cultural de esquerda".

Trump ainda alegou que os manifestantes, que derrubaram — ou tentam derrubar —estátuas de figuras históricas consideradas racistas, fazem parte de um grupo “fascista de extrema esquerda”, cujo o qual ele declarou uma batalha.

"Nossa nação está testemunhando uma campanha impiedosa para acabar com a nossa história, difamar nossos heróis, apagar nossos valores e doutrinar nossos filhos", disse. "Não se engane, esta revolução cultural de esquerda foi projetada para derrubar a revolução americana".

Além de causar polêmica ao se recusar a renomear bases militarem que recebem o nome de generais confederados, o presidente americano também assinou, recentemente, um decreto que prevê a prisão de pessoas que depredarem estátuas monumentos e memoriais no país.