Notícias » Brasil

Durante entrevista ao vivo, candidato a prefeito passa mal e morre

Paulo Sérgio Cyrillo apresentava suas propostas e respondia perguntas quando começou a se sentir mal. Apesar de ser auxiliado por um assessor, ele não aguentou a espera por socorro médico

Fabio Previdelli Publicado em 12/11/2020, às 11h35

O candidato a prefeito Paulo Sérgio Cyrillo
O candidato a prefeito Paulo Sérgio Cyrillo - Divulgação/ Instagram/ Paulo Sérgio Cyrillo

Durante uma entrevista concedida ontem, 11, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Famesc (Faculdade Metropolitana São Carlos), o candidato a prefeito da cidade de Bom Jesus do Itabapoana, Paulo Sérgio Cyrillo (do partido Republicanos), passou mal e morreu subitamente. As informações são do UOL

Paulo Sérgio, de 73 anos, era o primeiro entre os entrevistados da noite, com um espaço para responder perguntas e apresentar propostas entre as 18h30 e 19h20. Enquanto falava, ele começou a se sentir mal e chegou a ser auxiliado por um de seus assessores. Porém, o candidato acabou não aguentando a chegada de socorro médico e morreu no local.  

Ainda não se sabe o que levou Cyrillo ao óbito. Engenheiro de formação, ele concorria ao cargo pela coligação “Todos por Bom Jesus e Deus por Todos Nós”. Seu vice, Otávio Amaral, ainda não se pronunciou se continuará com a campanha e na disputa do cargo.  

Em nota divulgada nas redes sociais, a faculdade lamentou o ocorrido e destacou que não possuía “palavras para expressar” os sentimentos em relação a perda de Paulo Sérgio.

“É com todo pesar que viemos trazer a triste notícia do falecimento do nosso querido Paulo Sergio Cyrillo. Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos. Pedimos a Deus que conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames". 

A relação entre a Faculdade e o candidato já vem de tempos. Em 2007, quando prefeito de Bom Jesus do Itabapoana, Cyrillo incentivou a instalação do centro de ensino no município, fato que ele se orgulhava e usava em suas campanhas eleitorais.