Notícias » Arqueologia

Durante isolamento social, descobertas arqueológicas foram feitas por pessoas comuns

Na Inglaterra, pelo menos 47 mil objetos foram descobertos por “arqueólogos de quintal”, incluindo tesouros medievais, moedas de ouro e artefatos romanos

Isabela Barreiros Publicado em 12/12/2020, às 08h58

Tesouro de moedas descoberto na Inglaterra
Tesouro de moedas descoberto na Inglaterra - Divulgação - The Trustees of the British Museum

A quarentena decorrente da pandemia do novo coronavírus fez com que pessoas desenvolvessem novos hobbies na Inglaterra. Durante o isolamento social, mais de 47 mil objetos antigos foram descobertos por “arqueólogos de quintal”, como anunciou o Museu Britânico. 

Seja por acaso ou por meio de detectores de metal, a realidade é que pessoas comuns acabaram fazendo muitas descobertas arqueológicas impressionantes durante esse período. "É brilhante ver o esquema crescendo cada vez mais forte durante o bloqueio, graças às descobertas de jardins e relatórios digitais", afirmou a ministra da Cultura do Reino Unido, Caroline Dinenage.

Selo medieval / Crédito: Divulgação - The Trustees of the British Museum

 

Foram encontrados artefatos e itens dos mais variados tipos. A lista inclui por exemplo dois tesouros de moedas feitas de ouro, um deles sendo um conjunto notável de 50 moedas de ouro maciço que vieram da África do Sul. Enterrados na Inglaterra, qual seria a trajetória desses objetos?

O segundo tesouro foi o de 63 moedas de ouro e uma de prata que datam da Era Tudor da região. Os itens eram ainda mais curiosos porque eles continham as iniciais de algumas das esposas de Henrique VIII, como Catarina de Aragão, Ana Bolena e Jane Seymour.

Outro achado importante foi um selo medieval que remonta ao século 13. Os arqueólogos que posteriormente analisaram o artefato perceberam que ele possuía uma inscrição em latim que dizia: "Davi, mensageiro de Deus, bispo de Santo André".

Mobília romana / Crédito: Divulgação - The Trustees of the British Museum

 

Pessoas também descobriram um encaixe de mobília muito antigo que provavelmente remonta ao período romano da região. Ele era feito de uma liga de parte e representava o rosto do deus Oceanus.

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.