Notícias » Bizarro

Durante premiação, foi descoberto que renomada escritora espanhola era pseudônimo de três roteiristas homens

A revelação foi feita no palco do evento que ocorreu na Espanha e buscava premiar "Carmen Mola"

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 18/10/2021, às 11h54

Estante contendo livros da suposta autora
Estante contendo livros da suposta autora - Divulgação / Penguin Random House

Uma cobiçada premiação literária na Espanha protagonizou momentos de confusão após a revelação de que "Carmen Mola", uma escritora de suspense com sucesso nacional, não passava de um pseudônimo administrado por três roteiristas homens, que foram ao palco do evento receber o prêmio destinado inicialmente a suposta autora.

Os rapazes, que já contribuíram com programas de televisão locais, eram Agustín Martínez, Jorge Díaz e Antonio Mercero, eles chocaram os convidados do Prêmio Planeta — incluindo o rei Felipe e rainha Letizia da Espanha, que estavam na plateia — e receberem o prêmio em dinheiro, deixando claro que a mulher nunca existiu.

Em entrevista ao jornal El Mundo, eles ainda explicaram que a história de vida fictícia da autora "tem sido uma boa ação de marketing".

De acordo com o site oficial de "Carmen Mola", ela era descrita como uma moça madrilenha que fazia questão de manter a identidade em segredo, mas, que trabalhava como professora universitária de álgebra e era mãe de três filhos. A farsa ocorreu durante anos, sendo criticada por outra autora de renome no país, Beatriz Gimeno.

“Além de usar um pseudônimo feminino, esses caras passaram anos dando entrevistas. Não é apenas o nome, é o perfil falso que usaram para atrair leitores e jornalistas. Golpistas”, disse Beatriz via Twitter.