Notícias » Brasil

Eduardo Bolsonaro fala de prefeito de Nova York: 'Sei que é marxista'

O filho do presidente deu uma entrevista à Fox News

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 22/09/2021, às 17h34

Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro - Getty Images

Eduardo Bolsonaro fez uma entrevista em inglês ao canal norte-americano Fox News na última terça-feira, 21, em que fez críticas a Bill De Blasio, prefeito da cidade de Nova York, e comparou os Estados Unidos à Venezuela

Conforme repercutido pela revista Rolling Stone, após Bolsonaro viajar para o local a fim de participar da 76ª Assembleia Anual das Nações Unidas, o político estadunidense mandou um recado ao chefe de estado brasileiro através de suas redes socais. 

“Precisamos enviar uma mensagem a todos os líderes mundiais, principalmente Bolsonaro, do Brasil, que se você pretende vir aqui, você precisa estar vacinado. Se você não quer se vacinar, nem precisa vir”, afirmou Bill

Para driblar as regras de que é necessário se estar imunizado para frequentar ambientes fechados nas ruas nova-iorquinas, nosso presidente comeu do lado de fora de restaurantes ou então precisou que fossem feitos "puxadinhos" para permitir que ele se sentasse em uma mesa do estabelecimento. 

As declarações de Eduardo para a Fox News vieram como reação a esses acontecimentos.

"Mostra muito sobre como as pessoas de esquerda são. Elas querem controlar tudo. Sei que De Blasio é marxista e ele segue muito o que diz Antonio Gramsci,” afirmou o político, que ainda reiterou uma outra vez durnate a conversa que tinha certeza a respeito do posicionamento político do prefeito nova-iorquino.

"Porque quando você acha que sabe o que é melhor para os outros mais do que a opinião delas, isso mostra muito sobre quem você é", explicou ele. 

Ainda conforme o veículo, Eduardo também deu um "conselho para o povo norte-americano", ao que alegou que a Venezuela não era "tão diferente" dos Estados Unidos: "Se você disesse para os venezuelanos nos anos 90 que o país iria viver uma ditadura, eles nunca levariam a sério". 

Veja abaixo um vídeo que mostra a conversa.