Notícias » Estados Unidos

Eleições EUA: Em meio a indefinição, manifestantes protestam pela segunda noite consecutiva

Em alguns Estados, manifestantes fecharam avenidas, pressionaram para que apuração fosse interrompida e até mesmo chegaram a ameaçar com rifles profissionais de imprensa

Fabio Previdelli Publicado em 05/11/2020, às 10h23

Manifestante pedindo a contagem de todos os votos
Manifestante pedindo a contagem de todos os votos - Divulgação/ YouTube/ UOL

Joe Biden 264 x 214 Donald Trump”, essa contagem de votos baseada nas apurações da Fox News e da Associated Press apontam, desde ontem, o candidato democrata a um passo de desbancar Trump e se tornar o novo presidente dos Estados Unidos.

Entretanto, a demora para confirmação dos resultados das eleições gera desconforto entre os norte-americanos, que presenciaram a segunda noite consecutiva de protestos enquanto os votos ainda estão sendo apurados.  

Manifestantes nos Estados Unidos / Crédito: Divulgação/ YouTube/ UOL

 

Apesar da pacificidade na grande maioria dos atos, houve grande tensão em algumas cidades. Em Minneapolis, por exemplo, a Interestadual 91, uma das principais rodovias do Estado de Minnesota, foi palco de protestos contra Trump, que se autodeclarou vencedor das eleições antes do fim das apurações. Por lá, pessoas que se recusaram a sair das vias públicas foram presas. Não há confirmação do número exato de detidos.  

Já na Pensilvânia, um dos Estados-chave nessa reta final, protestos exigindo a contagem de todos os votos explodiram na Filadélfia. Muito disso se deu, inclusive, pelo fato de Trump entrar com uma ação pedindo a suspensão das contagens.

No Estado, que dá direito a 20 votos eleitorais, o republicano tinha ampla vantagem, mas os votos que chegaram pelo correio diminuíram consideravelmente essa diferença que, agora, é de cerca de 60 mil votos. 

Uma onda de protestos também tomou conta de cidades como Portland, Chicago e Nova York — onde, nesta última, houve o relato de pequenos focos de incêndio. As situações mais alarmantes, no entanto, aconteceram em no Michigan e no Arizona.  

Em Detroit, Michigan, manifestantes pró-Trump se reuniram do lado de fora de onde as contagens acontecem e exigiram que a apuração fosse suspensa, alegando que cédulas fraudulentas estavam sendo computadas para Biden. A apuração continuou enquanto alguns deles batiam nas janelas do local e gritavam: “Parem as contagens”. 

Policiais acompanhando manifestantes / Crédito: Divulgação/ YouTube/ CNN

 

Já no Arizona, houve manifestações no condado de Maricopa, onde fica Phoenix, a maior cidade dos Estados. Segundo a Reuters, algumas pessoas carregavam rifles e chegaram a ameaçar profissionais de veículos de comunicação, como a Fox e a AP, que projetaram a vitória de Biden por lá, enquanto outros veículos, como o The New York Times, se mantem cautelosos sobre um vencedor no Estado.