Notícias » Estados Unidos

Eleitora vota seminua após tirar camiseta que criticava Donald Trump

Segundo o supervisor da sala, a peça poderia ser considerada uma propaganda eleitoral e, por isso, não deveria ser usada na urna

Pamela Malva Publicado em 10/09/2020, às 19h45

Imagem meramente ilustrativa de urnas norte-americanas
Imagem meramente ilustrativa de urnas norte-americanas - Divulgação/Youtube

Enquanto supervisionava as votações primárias para presidência em New Hampshire, nos Estados Unidos, Paul Scafidi passou por uma situação incomum. Surpreendendo a todos, uma das eleitoras decidiu votar seminua, após ser notificada sobre sua camiseta.

Segundo contou ao jornal Boston Globe, Paul percebeu que a peça de roupa trazia uma frase que criticava o atual presidente Donald Trump. Seguindo as ordens que recebeu, então, Paul explicou para a eleitora que ela não poderia votar com a camiseta, já que a peça poderia ser considerada uma propaganda eleitoral.

Estampada com a frase “McCain Hero, Trump Zero” (“McCain herói, Trump nada”, em tradução livre), a peça fazia referência ao ex-senador republicano John McCain. Falecido em 2018, o político chegou a se candidatar para a presidência dos Estados Unidos.

Fotografia de Donald Trump, o atual presidente dos Estados Unidos / Crédito: Wikimedia Commons

 

Após a notificação, o supervisor ainda sugeriu que a mulher cobrisse a estampa, virasse a roupa ao contrário ou simplesmente se trocasse de roupa. A eleitora, contudo, decidiu por despir-se ali mesmo, apesar de não estar usando nada por baixo, segundo o UOL.

Com os seios à mostra, ela caminhou até a urna, votou, vestiu a peça mais uma vez e foi embora. “Eu trabalho nas urnas há quase 30 anos e nunca vi nada parecido”, explicou Paul ao jornal. “Era algo para o qual eu não estava preparado, com certeza”.