Notícias » Estados Unidos

Elon Musk sugere que apoiou golpe dos EUA contra Evo Morales: “Vamos golpear quem quisermos. Lide com isso!”

Empresário se manifestou após ser questionado por seguidor no Twitter

Fabio Previdelli Publicado em 27/07/2020, às 12h20

Elon Musk, CEO da Tesla
Elon Musk, CEO da Tesla - Wikimedia Commons

O excêntrico bilionário e fundador da Tesla, Elon Musk, segue causando polêmicas nas redes sociais. A mais nova controvérsia aconteceu no último sábado, 25, quando Musk sugeriu ter apoiado os Estados Unidos em um golpe na Bolívia que depôs o presidente Evo Morales. O ato teria sido feito para que ele garantisse o fornecimento de lítio, suprimento utilizado na bateria de seus carros elétricos.

O assunto começou após um seguidor responder um tweet de Musk que dizia que as pessoas não estão interessadas em um novo pacote de estímulo dos governos durante a pandemia de coronavírus. “Você sabe o que não era de interesse público? O governo dos EUA organizarem um golpe contra Evo Morales na Bolívia para que você possa obter lítio lá”, rebateu o usuário.

Musk prontamente respondeu. “Vamos golpear quem quisermos. Lide com isso!”. Entretanto, após as inúmeras acusações que sofreu, o CEO da Tesla fez questão de colocar panos quentes no assunto. “O nosso lítio vem da Austrália”, completou.

Tweet de Elon Musk / Crédito: Reprodução/ Twitter

 

A tentativa de se retratar parece não ter sido muito aceita, já que o Tweet foi apagado pelo bilionário e não está mais em sua timeline. Apesar disso, o ex-presidente Evo Morales não deixou de comentar a situação.

“Elon Musk, dono da maior fábrica de carros elétricos, fala sobre o golpe na Bolívia: ‘Vamos dar golpes em quem quisermos’. Outra prova de que o golpe foi devido ao lítio boliviano; e dois massacres como saldo. Sempre defenderemos nossos recursos!”, escreveu em seu twitter.