Notícias » Curiosidades

Em 2025 será possível se hospedar em um hotel no espaço que homenageia um cientista nazista

A estação turística espacial Wernher von Braun acomodará cerca de 400 pessoas e terá atividades como basquete de baixa gravidade e um jogo semelhante ao quadribol

Fabio Previdelli Publicado em 05/09/2019, às 11h00

Hotel espacial Wernher von Braun
Hotel espacial Wernher von Braun - Crédito: Reprodução

A Fundação Gateway está trabalhando para que a Terra seja o cartão postal da sua próxima viagem. A empresa tem o objetivo de construir a primeira estação turística espacial, para isso, os engenheiros planejam construir uma plataforma no espaço no qual as condições sejam semelhantes as que estamos acostumados.

Ao contrário da tecnologia usada na Estação Espacial Internacional, o hotel no espaço terá sua própria gravidade artificial, o que tornará as estadias em longo prazo mais gerenciáveis, além de deixar os visitantes com os pés no chão.

O hotel no espaço terá sua própria gravidade artificial / Crédito: Reprodução


A estação espacial de férias ganhará um nome um tanto polêmico. Isso porque o lugar é uma homenagem à Wernher von Braun, um dos principais engenheiros nazistas que foi responsável pela criação do foguete V2 – primeiro míssil balístico usado pela Alemanha durante as últimas fases da Segunda Guerra.

Von Braun foi levado para a NASA depois da Guerra e se tornou uma das figuras americanas mais notáveis na área de desenvolvimento de foguetes. Ele também é o primeiro a pensar no conceito por trás do hotel espacial.

O projeto terá um total de 24 cápsulas espalhadas por todos os 190 metros da estrutura circular da plataforma, como se fosse uma espécie de roda gigante. Cada módulo terá três decks com instalações para dormir, estima-se que o hotel acomode cerca de 400 pessoas. O lugar ainda também será projetado com bares, shows, músicas e diversas atividades, como basquete de baixa gravidade e um jogo semelhante ao quadribol.

O projeto terá um total de 24 cápsulas espalhadas por todos os 190 metros da estrutura circular da plataforma, como se fosse uma espécie de roda gigante / Crédito: Reprodução


Esse é só o primeiro passo da empresa, até 2030 eles planejam lançar uma segunda estação, que se chamará The Gateway, que abrigará 1.400 pessoas. Tim Alatorre, um dos principais arquitetos do projeto diz que no futuro a viajem para o espaço será uma outra opção que as pessoas escolherão, assim como fazer um cruzeiro ou ir para a Disney.

"O sonho da Gateway Foundation é criar uma cultura de naves espaciais, onde existe uma comunidade permanente de pessoas que viajam no espaço vivendo e trabalhando na órbita da Terra e além”, concluiu.