Notícias » África

Em Botsuana, centenas de elefantes foram mortos por água contaminada por bactéria

O governo só descobriu a causa da morte meses depois dos trágicos episódios

Penélope Coelho Publicado em 21/09/2020, às 17h08

Imagem ilustrativa de elefantes na natureza
Imagem ilustrativa de elefantes na natureza - Pixabay

Desde março de 2020, mais de 300 elefantes foram encontrados mortos em Botsuana. O motivo das mortes misteriosas só foi descoberto meses depois. De acordo com informações da agência e notícias AFP, divulgadas pelo G1, o problema estava na água da região do rio Okavango.

Nesta segunda-feira, 21, o governo local revelou que os animais foram vítimas de uma cianobactéria produtora de neurotoxinas. A conclusão se deu após a análise no sangue dos elefantes. De acordo com a publicação, as investigações sobre a bactéria continuarão sendo realizadas, a fim de evitar problemas futuros.

"As mortes ocorreram por envenenamento devido a uma cianobactéria que se desenvolveu em pontos de água", revelou Mmadi Reuben, veterinária do Ministério da Vida Selvagem e Parques Nacionais. A região abriga cerca de 130 mil elefantes em liberdade, o que representa um terço da população desses animais em solo africano.

Na época dos óbitos, algumas hipóteses já haviam sido descartadas, como a caça furtiva. Contudo, as mortes dos elefantes pararam de acontecer desde o final de julho, período que coincidiu com o esgotamento desses pontos de água, como revelou Reuben.