Notícias » Oriente Médio

Em Cabul, atentado armado mata quatro em Hospital de Maternidade

O ataque terrorista contra mães em parto não foi reivindicado por ninguém, mas a capital do Afeganistão é constantemente atingida pela violência do Estado Islâmico

André Nogueira Publicado em 12/05/2020, às 08h00 - Atualizado às 08h42

Vítimas incluíram bebês
Vítimas incluíram bebês - Divulgação/Twitter

Um novo ataque com armas de fogo aconteceu na cidade de Cabul, capital do Afeganistão, após três homens entrarem na área de leitos de maternidade do Hospital Barchi, administrada pelos Médicos Sem Fronteiras, segundo o Ministério do Interior do país. Ação levou à evacuação do local, com 80 mulheres e recém-nascidos e entrada de forças de segurança afegãs, que mataram os três responsáveis.

Segundo o Ministério, ao menos quatro pessoas foram mortas no ataque, que ainda não teve mandantes identificados. Os agressores confundiram a comunidade local por entrar no hospital de maternidade com uniformes da polícia e, logo depois, atirarem em pacientes e lançarem granadas no interior do prédio. O local já havia sido alvo de ataques anteriores do Estado Islâmico.

"O hospital estava cheio de pacientes e médicos; havia pânico total por dentro", afirmou um sobrevivente, médico pediatra não identificado, à AFP. Segundo relatou, houve uma grande explosão na entrada do local em Dashti Barchi, bairro xiita constantemente alvo dos terroristas. A ala de maternidade possuía cerca de 100 leitos.

Os últimos meses foram marcados por atentados violentos em Cabul, reivindicados pelo Estado Islâmico, núcleo fundamentalista sunita ortodoxo. Outras explosões ocorreram em bairros da capital, que passa por ondas de violência que se intensificaram com o inicio da guerra empreitada pelos EUA. O governo do Afeganistão anunciou na semana passa a morte de vários membros locais do ISIS e a prisão de três membros sêniores da associação terrorista.