Notícias » Brasil

Em julgamento, sobrevivente da boate Kiss relembra tragédia

Kelen Giovana teve parte da perna amputada: 'Última vez que corri foi para tentar me salvar da morte'

Redação Publicado em 02/12/2021, às 12h05

Kelen Giovana, sobrevivente do incêndio
Kelen Giovana, sobrevivente do incêndio - Divulgação / G1

Uma sobrevivente do incêndio da boate Kiss realizou um depoimento na última quarta-feira, 1, no qual falou sobre as lesões que sofreu na tragédia ocorrida em Santa Maria, Rio Grande do Sul, há quase nove anos. O julgamento do caso teve início ontem, na cidade de Porto Alegre.

Kelen Giovana Leite Ferreira, hoje com 28 anos, estava presente na casa noturna no dia 27 de janeiro de 2013 e teve 18% de seu corpo queimado. Além disso, perdeu parte de uma das pernas.

Segundo informações do G1, a mulher relatou que caiu quando tentava fugir do incêndio e sua sandália acabou ficando presa no tornozelo, o que interrompeu a circulação sanguínea. Não havia outra alternativa, a não ser amputar a parte do corpo afetada.

"A última vez que eu corri foi para tentar me salvar da morte", disse a jovem que, nos últimos anos, tem passado por um processo de aceitação em razão das cicatrizes que adquiriu.

"Eu queimei 18% do corpo e eu perdi meu pé. Uso uma prótese em decorrência de tudo o que aconteceu", declarou.