Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Em meio a enchentes, polícia encontra depósito com objetos roubados no RS

Em meio ao caos causado pelas intensas chuvas e enchentes, criminosos se aproveitam da situação para realizar furtos em casas e comércios

Enchente no Rio Grande do Sul - Getty Images
Enchente no Rio Grande do Sul - Getty Images

Durante uma operação, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul se deparou com um depósito voltado para o armazenamento de produtos roubados de residências e comércios em meio às chuvas e enchentes que atingiram o estado na última semana. 

Em uma publicação nas redes sociais, a Polícia Civil informou que o depósito em questão, localizado na zona norte de Porto Alegre, foi encontrado pelos agentes durante um patrulhamento náutico. 

Conforme repercutido pelo UOL, a corporação afirmou que vários objetos furtados foram recuperados. Porém, o destino dos itens e a devolução para seus verdadeiros donos não foi detalhada. 

Desde o início dos temporais no Rio Grande do Sul, criminosos têm aproveitado que os moradores deixaram suas residências para realizar saques. Estabelecimentos comerciais também têm sido alvo dos bandidos, uma loja de itens do Grêmio, por exemplo, também foi invadida e saqueada. 

Invasões e saques

Em Canoas, um dos municípios mais afetados pelas chuvas, foram registrados roubos até mesmo de barcos e jet skis. Os criminosos fingem necessitar de resgate, mas ao se aproximar da ajuda, muitas vezes de voluntários, eles realizam os roubos.

+ Tragédia: Como foi a grande enchente de 1941 que afetou o Rio Grande do Sul?

Incidentes como esses estão impedindo os moradores de deixarem a área afetada. O medo de terem seus pertences furtados faz com que muitos hesitem em abandonar seus lares para buscar abrigo nos locais recomendados pelas prefeituras.

Em uma entrevista concedida ao UOL, um policial admitiu a dificuldade em combater os saques, ao afirmar que os criminosos têm agido de forma "generalizada", tornando a ação policial mais desafiadora, uma vez que o foco principal está em salvar vidas.