Notícias » Brasil

Em nova homenagem, Pelé se despede de Maradona: “gênio que encantou o mundo”

Camisa 10 brasileiro usou suas redes sociais para se despedir de seu amigo. "Sua partida rápida não me deixou dizer, então apenas escrevo: Eu te amo, Diego”

Fabio Previdelli Publicado em 03/12/2020, às 11h00

Maradona olhando Pelé tocando violão
Maradona olhando Pelé tocando violão - Divulgação/ Instagram/ Pelé

Uma semana após a morte de Diego Armando Maradona, o Rei Pelé usou sua conta no Instagram para dedicar um texto ao ídolo argentino. Na publicação de ontem, 2, Pelé chamou o camisa 10 albiceleste de “gênio que encantou o mundo” e “verdadeira lenda”.  

“Já se passaram sete dias desde que você partiu. Muitas pessoas adoravam nos comparar durante toda a vida. Você foi um gênio que encantou o mundo. Um mágico com a bola nos pés. Uma verdadeira lenda. Mas acima disso tudo, para mim, você sempre será um grande amigo, com um coração maior ainda”, disse Pelé

O brasileiro também deixou as comparações de lado e chamou Maradona de “incomparável”, lamentando o fato de não ter conseguido se despedir de seu amigo.“Hoje, eu sei que o mundo seria muito melhor se pudéssemos comparar menos uns aos outros e passássemos a admirar mais uns aos outros. Por isso, quero dizer que você é incomparável”. ⠀ ⠀ 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Pelé (@pele)

 

“A sua trajetória foi marcada pela honestidade. Você sempre declarou seus amores e desamores aos quatro ventos. E com esse seu jeito particular, ensina que temos que amar e dizer ‘eu te amo’ muito mais vezes. Sua partida rápida não me deixou dizer, então apenas escrevo: Eu te amo, Diego”. ⠀ 

Por fim, o camisa 10 brasileiro agradeceu o camisa 10 argentino e disse que espera que, um dia, eles possam jogar futebol juntos no céu. “Meu grande amigo, muito obrigado por toda a nossa jornada. Um dia, lá no céu, vamos jogar juntos no mesmo time. E vai ser a primeira vez que eu vou dar socos no ar sem estar comemorando um gol, mas sim, por poder te dar mais um abraço”. 

A morte de Maradona

No começo da tarde da quarta-feira da semana passada, 25, Diego Armando Maradona, campeão de uma Copa do Mundo pela Seleção Argentina, morreu após um mal súbito. O ex-atleta do Boca Juniors e do Barcelona não resistiu a uma parada cardíaca.

Maradona havia completado 60 anos de idade no último dia 30 de outubro, recebendo inúmeras homenagens pelo mundo — uma delas no gramado do estádio do Gimnasia y Esgrima de La Plata, clube que o astro treinava antes de tirar uma licença médica. Na ocasião, a aparição surpreendeu pelo caminhar lento e dificuldade de realizar ações.

O ídolo foi internado em um hospital, três dias depois, realizando uma cirugia de drenagem após uma pequena hemorragia no cérebro. De acordo com o médico pessoal de Diego, Leopoldo Luque em entrevista à ESPN, o procedimento médico havia sido realizado com sucesso, mas o ex-atleta prosseguia internado.

O jogador iniciou sua carreira no Argentinos Juniors, se profissionalizando em 1976, onde marcou 149 gols em 166 jogos. Depois disso, teve passagens marcantes no Barcelona-ESP e no Napoli-ITA, antes de retonar para a Agentina, onde encerrou a carreira com 446 gols por clubes. Pela Seleção Argentina, disputou 91 jogos, marcando 34 gols e vencendo uma Copa do Mundo.