Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Bizarro

Em programa de TV, britânico revela amar e 'sentir atração' por balões

Identificado apenas como Julius, o homem de 62 anos afirma que guarda com carinho cerca de 50 mil bexigas em casa

Pamela Malva Publicado em 16/02/2022, às 21h00

Imagem de Julius com seus muitos balões - Divulgação/ TLC
Imagem de Julius com seus muitos balões - Divulgação/ TLC

Nos últimos dias, a curiosa obsessão de um britânico chamou atenção de espectadores do canal TLC. Acontece que, identificado apenas como Julius, o homem protagonizou um capítulo do programa ‘Strange Addiction’ (ou ‘Vicio Estranho’, em tradução livre), onde afirmou que não apenas guarda, como também é apaixonado por… balões.

Vivendo no Reino Unido com sua família, o britânico afirma que tem cerca de 50 mil exemplares do objeto em sua casa. E, como se o número já não fosse o suficiente, ele os mantém em um quarto especial, uma espécie de santuário, onde dorme toda noite.

Eles são lindos. São macios, suaves e delicados. Eu tenho uma conexão com eles", narrou o britânico. "Intelectualmente, sei que os balões não estão vivos. Mas às vezes me pergunto se é meu amor por eles que os traz à vida."

Aos 62 anos, Julius narrou que sua obsessão começou quando ele tinha apenas 4 anos. Na época, ele foi hospitalizado e acabou ganhando um balão azul de sua mãe. A cor, o brilho e a maciez do objeto, então, logo conquistaram toda a sua atenção.

Tragicamente, no entanto, o balão azul foi estourado por uma enfermeira do hospital, fazendo com que o menino chorasse pelo resto do dia, até cair no sono. Até hoje, inclusive, o som de um balão estourando causa arrepios na espinha de Julius.

Dessa forma, o homem já dedica décadas de sua vida a colecionar, manter e amar os balões que consegue encontrar. Ao programa, o britânico chegou a revelar que, de certa forma, sente que mantém uma “relação amorosa” com seus amados objetos.

Curiosamente, no entanto, esse relacionamento não se detém na classificação de platônico. Para Julius, seu “amor por balões também é um amor sexual”.

Quando vejo um lindo balão, meu coração começa a palpitar e fico excitado. Vou abraçá-los e beijá-los e isso é como estar no céu”, explicou o senhor. “É como os homens gostam de abraçar e beijar uma mulher que amam.”

Acontece que o coração do britânico também tem de ser dividido com sua esposa, que, apesar de estranhar o cenário no começo, aprendeu a lidar com a situação com o passar dos anos. “Minha esposa acha estranho, mas aceita”, afirmou Julius.

Tamanha é a fixação do homem com seus balões que, mesmo que sua família critique o  vício e se preocupe com sua saúde, Julius segue guardando os objetos que acredita estarem em perigo — como aqueles usados por concessionárias de carros.

"Vou a concessionárias e faço o que chamo de resgate de balão”, explicou. “Quando são colocados para exposição de manhã cedo, eles são realmente lindos. À medida que o sol aquece, eles ficam sem graça, deformados. Sinto que dou a eles uma segunda chance."

Por fim, Julius afirma que não pretende abandonar seus balões tão cedo. "Já consultei um psicólogo e a única coisa que ele me disse foi: 'Bem, você não está machucando ninguém, então por que se preocupar com isso?'", narrou ele. "Não vejo nada de errado em gostar de balões e vou continuar amando-os porque é isso que me deixa feliz."