Notícias » Rússia

Em testamento, homem deixa parte de seu dinheiro para 50 gatos

O filantropo pedia para que um valor fosse enviado para os felinos que vivem no porão de um museu na Rússia

Redação Publicado em 11/12/2020, às 12h24

Imagem ilustrativa de gatos
Imagem ilustrativa de gatos - Divulgação/Pixabay

De acordo com informações publicadas na última terça-feira, 8, pelo portal de notícias UOL, um filantropo francês que não teve sua identidade revelada, deixou um pedido peculiar em seu testamento.

No documento, o homem pediu para que uma pequena quantia de dinheiro fosse destinada para o cuidado de 50 gatos que vivem no porão do Museu Estatal Hermitage, em São Petersburgo, na Rússia.

Agora, sabe-se que os bichanos serão beneficiados com a doação, já que o lar dos felinos será reformado com essa quantia. "A soma não é muito grande, mas é muito importante”, disse o diretor do museu, Mikhail Piotrovsky, em entrevista para a CNN.

De acordo com a publicação, essa não é a primeira vez que os animais recebem ajuda, graças a outras doações, os gatinhos possuem um plano veterinário.

A tradição de gatos vivendo no Museu Estatal Hermitage é antiga e teve início no século 18, durante o reinado da Imperatriz Elizabeth na Rússia, entre os anos de 1741 a 1761. Posteriormente, a tradição continuou com Catarina II, na ocasião, a nobre deu aos gatos que vivem no museu um título de honra como ‘protetores das galerias de arte’.