Notícias » Coronavírus

Em transmissão, Olavo de Carvalho afirma que ninguém morreu por coronavírus

Associando o vírus a uma inconsistente teoria da conspiração, o guru do governo Bolsonaro disse que essa está sendo "a mais vasta manipulação de opinião pública que já aconteceu na história humana"

Isabela Barreiros Publicado em 23/03/2020, às 15h10

Olavo de Carvalho em vídeo de 2013
Olavo de Carvalho em vídeo de 2013 - Wikimedia Commons

"Você não tem um único caso confirmado de morte por coronavírus", afirmou o escritor Olavo de Carvalho em uma transmissão ao vivo feita ontem, 22, na plataforma do Youtube para o canal Brasil Sem Medo. A informação falsa foi divulgada juntamente com outros dados inconsistentes.

No Brasil, até o momento, são 25 mortes e 1.546 casos confirmados de coronavírus, de acordo com relatório atualizado do Ministério da Saúde. No mundo, mais de 294 mil pessoas foram infectadas e há um número superior a 12.784 de mortes, segundo Organização Mundial da Saúde (OMS).

O guru bolsonarista mentiu novamente durante a live ao associar a pandemia atual a uma espécie de teoria da conspiração infundada. Ele declarou que acreditava que essa está sendo "a mais vasta manipulação de opinião pública que já aconteceu na história humana" e que o contexto “parece coisa de ficção científica”.

“A experiência de 72 anos de vida me mostra que em geral a verdade é inverossível. O que as pessoas esperam que aconteça não acontece e o que acontece é o que elas não esperavam, então elas não acreditam que está acontecendo”, afirmou ainda o astrólogo.

De acordo com Carvalho, "para confirmar [o vírus], você precisa fazer o exame de cada órgão do falecido, e onde que fizeram isso? Nunca fizeram nenhum”. A afirmação pode ser contestada pelas definições operacionais publicadas no próprio site do Ministério da Saúde, que informa que "o diagnóstico é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro)".

Além disso, a pasta também comunica que “é necessária a coleta de duas amostras na suspeita. Para confirmar a doença é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral. O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de amostra, que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito”.