Notícias » Arqueologia

Embarcação do século 17 é encontrada quase intacta no Mar Báltico

A preservação do notável navio do Império Holandês gerou muitas dúvidas sobre como ocorreu seu desaparecimento; confira o vídeo!

Isabela Barreiros Publicado em 09/09/2020, às 15h34

Naufrágio de navio do Império Holandês encontrado no Mar Báltico
Naufrágio de navio do Império Holandês encontrado no Mar Báltico - Divulgação/Badewanne/Pen News

De acordo com informações do jornal britânico Daily Mail, nesta semana, uma equipe de mergulho liderada por Jouni Polkko encontrou destroços de um dos mais importantes navios usados pelo Império Holandês durante o século 17. As investigações ocorreram no fundo das águas do Mar Báltico, mais especificamente na foz do Golfo da Finlândia. 

Conhecido como fluyt, o barco foi uma peça fundamental para a exploração de outros continentes realizada por exploradores holandeses. Para Juha Flinkman, também do time de mergulho, “esta família de navios fluítes foi fundamental para a ascensão da República Holandesa à superpotência econômica que foi”. 

Crédito: Divulgação/Badewanne/Pen News

 

“Em sua época, eles eram navios muito eficientes. E é preciso lembrar que era esse tipo de navio que praticamente todos os exploradores holandeses usavam  —como Willem Barents no Ártico e aqueles que foram para a Austrália e a Ásia”, explicou.

O mais impressionante, porém, é que o navio foi encontrado em condições quase perfeitas, o que fez com que os especialistas ficassem intrigados com a causa do desaparecimento da embarcação nas águas. 

“O casco está intacto. Está no meio do mar, por isso não encalhou. Talvez tenha virado durante uma tempestade ou as bombas tenham ficado presas e o navio tenha entrado com muita água por causa de um vazamento”, disse Jouni Polkko. “Ou talvez o cordame tenha congelado e tornado a nave instável. Mas realmente não sabemos”.

Crédito: Divulgação/Badewanne/Pen News

 

O barco tinha apenas danos considerados “leves”. Acredita-se que as condições do ambiente fizeram com que ele ficasse tão preservado. “É apenas em lugares raros ao redor do mundo, incluindo o Mar Báltico, onde destroços de madeira podem sobreviver por séculos sem serem destruídos. Devido à baixa salinidade, escuridão absoluta e temperaturas muito baixas durante todo o ano, esses processos são muito lentos no Báltico”, explicou Polkko.

Segundo o mergulhador “todo o Mar Báltico é bom para preservar antigos naufrágios. Mas em direção ao Golfo da Finlândia, as condições apenas melhoram à medida que a salinidade diminui”. O resultado disso são os impressionantes barcos afundados encontrados no mar gelado. 

Confira o vídeo publicado pelo jornal britânico Daily Mail: