Notícias » Arqueologia

Encontrado vestígio mais antigo de caça de mamutes, na Polônia

Pesquisadores da Cracóvia descobrem a evidência mais antiga de caça do animal pelo ser humano

André Nogueira Publicado em 20/05/2019, às 14h00 - Atualizado às 15h30

Caça de Mamute (reprodução gráfica)
Caça de Mamute (reprodução gráfica) - Arquivo AH

A mais antiga evidência inequívoca de caça programada de mamutes na pré-história foi encontrada por pesquisadores na Polônia. O sítio, conhecido como Gravettian Kraków Spadzista, é abundante em material antrópico e relata a programação dos seres humanos da época na prática de caça dos mamutes lanosos.

Foram encontrados no sítio materiais líticos — provavelmente usados para caça — e a ossada de mais de 100 mamutes, datados de pelo menos 24 mil anos atrás através de radiocarbono. Entre os materiais, foi encontrada uma ponta de lança feita de sílex embutida em uma costela gigante de mastodonte.  

Pontas de lança catalogadas / Crédito: Divulgação

 

Mais de 50% dos pontos de impacto do sílex nas ossadas indicam uso de pontas de lança amarradas em hastes (hafting). Isso indica fluxo constante da caça desses animais, além dos dados demográficos catalogados no site que reafirmam a hipótese da caça de mamutes: o corpo de 112 desses animais, cujos traços permitem afirmar que algumas faixas etárias desses animais forma perseguidas com mais ênfase nos períodos de ambiente mais drástico.

Osso de mamute catalogado e radiografado / Crédito: Divulgação

 

Os dados coletados na Cracóvia, que comprovam caça predatória de animais de grande porte nesse remoto passado, antecipam processos que irão culminar no final do Pleistoceno, quando as grandes mudanças climáticas levam os seres humanos a caçar mais mamutes, o que levará a espécie à extinção.