Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Klara Castanho

Enfermeira que ameaçou Klara Castanho pode perder o registro profissional

Presidente do Cofen fala das consequências diante das ameaças relatadas por Klara Castanho

Redação Publicado em 28/06/2022, às 09h33

Foto publicada por Klara Castanho nas redes sociais - Divulgação/ Instagram @klarafgcastanho
Foto publicada por Klara Castanho nas redes sociais - Divulgação/ Instagram @klarafgcastanho

Após a história do parto de Klara Castanho chegar ao conhecimento do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), a enfermeira envolvida no caso — que teria ameaçado a divulgação dos dados da paciente — poderá perder o registro profissional, como afirmou a presidente da instituição, Betânia Maria dos Santos, para o canal ‘Globonews’, na segunda-feira, 27.

A entidade federal acompanha o Conselho Regional de São Paulo (Coren-SP) nas investigações da denúncia, principalmente na parte onde a atriz alega que uma enfermeira teria a abordado e ameaçado divulgar para a imprensa informações sobre a entrega para adoção de bebê fruto de um estupro.

Casos assim devem ser rigorosamente punidos, para que não mais se repitam. Da mesma forma, devem ser execrados comunicadores que deturpam a função social do jornalismo para destruir a vida das pessoas. Vida privada não é assunto público'", afirmou Betânia Maria na entrevista ao Globonews.

Comunicado oficial

No domingo, 26, a Cofen já havia publicado uma carta onde manifestava uma "profunda solidariedade à atriz Klara Castanho, que, após ser vítima de violência sexual, teve o seu direito à privacidade violado, durante processo de entrega voluntária para adoção, conforme assegura o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)".

A entidade também alega que determinou a apuração da ocorrência e "tomará todas as providências que lhe couber para a identificação dos responsáveis pelo vazamento de informações sigilosas pertinentes ao caso".

Segundo a apuração do portal de notícias ‘G1’, o Coren-SP ressalta que cabe ao conselho investigar situações em que exista infração praticada por um profissional de enfermagem e também adotar as medidas previstas no Código de Processo Ético dos Conselhos de Enfermagem.