Notícias » Noruega

Enterro viking é encontrado em pequena ilha norueguesa

Com ajuda da tecnologia do georadar, os pesquisadores puderam analisar a descoberta sem sequer cavar o solo

Fabio Previdelli Publicado em 25/11/2019, às 11h21

A tecnologia foi capaz de identificar o enterro sem danificar o solo
A tecnologia foi capaz de identificar o enterro sem danificar o solo - Norwegian Institute for Cultural Heritage

Com ajuda da tecnologia do georadar, pesquisadores da Noruega conseguiram identificar um enterro viking na pequena ilha de Edøy.  A emissão contínua de ondas eletromagnéticas no solo permitiu que o contorno da embarcação fosse detectado em torno de uma igreja histórica da região, que fica localizada a 85 km da cidade de Trondheim, no oeste da Noruega.

A pesquisa foi feita por uma equipe de especialistas locais e membros do Instituto Norueguês de Patrimônio Cultural (NIKU). A técnica possibilitou que os profissionais pudessem estudar o navio enterrado sem sequer cavar o solo.

O georadar ajuda a identificar os contornos de estruturas e objetos maiores abaixo do solo superficial. O método é uma forma não invasiva de investigação e permite que os arqueólogos façam descobertas emocionantes sem precisarem escavar o local. A tecnologia foi desenvolvida pelo Instituto LBI ArchPro, na Áustria, e desde então tem sido usada com sucesso em todo o mundo.

A técnica do georadar possibilitou que os pesquisadores pudessem estudar o navio enterrado sem sequer cavar o solo / Crédito: Norwegian Institute for Cultural Heritage

 

 

Em entrevista ao Daily Mail, o arqueólogo Knut Paasche, da Niku, declarou que o enterro é “incomum e emocionante”. A descoberta está localizada em uma área onde antes havia um grande monte com cerca de 6 metros de comprimento, que, provavelmente, era um local de sepultamento pré-cristão.

Com base nos dados já coletados, a equipe estima que o navio possa ter 1000 anos ou mais. No entanto, mais evidências serão coletadas antes de uma confirmação. “É muito cedo para dizer algo certo sobre a idade do navio, mas o navio deve ser do período merovíngio ou viking”, disse Paasche.

Além do mais, os pesquisadores já conseguiram estimar o tamanho da embarcação. Segundo eles, o achado tinha originalmente cerca de 19 metros de comprimento e sua quilha tinha 14 metros de largura. O fato de estar enterrado no solo por séculos, fez com que as popas dianteiras e traseiras fossem desintegradas ou destruídas.

Apesar disso, os especialistas julgam que o navio esteja em boas condições em geral. Eles ainda acreditam que barco possa conter alguns itens de importância arqueológica, já que a prática era bem comum dos vikings.

A embarcação tinha originalmente cerca de 19 metros de comprimento e sua quilha tinha 14 metros de largura / Crédito: Norwegian Institute for Cultural Heritage

 

Os vikings acreditavam que esse tipo de enterro ajudava os mortos na vida após a morte. Geralmente, "os enterros dos navios Vikings foram reservados para pessoas com status significativo na comunidade", informou a Forbes. Eles costumavam estar cheios de mercadorias raras, incluindo armas e joias.

Atualmente, não existem planos para a escavação do navio.