Notícias » Arqueologia

Escavações revelam paredes de pedra de castelo de 400 anos no Japão

A descoberta é a mais antiga — ainda existente — parede da estrutura, medindo cerca de 4 metros de altura

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 23/04/2021, às 07h00

Parede de pedra descoberta em Tóquio, Japão
Parede de pedra descoberta em Tóquio, Japão - Divulgação/Mainichi - Natsuki Nishi

Como noticiou o jornal japonês Mainichi Shimbun, arqueólogos descobriram as paredes de pedra de um castelo, que possuem pelo menos 400 anos, durante escavações realizadas para a reforma do Museu das Coleções Imperiais, localizado no Jardim Leste do Palácio Imperial, em Tóquio, no Japão.

As estruturas possuem ao menos 16 metros, indo de norte a sul, e aproximadamente quatro metros de altura. Segundo os pesquisadores, elas podem ter sido usadas, no passado, como parte do fosso que era preenchido por água. Eles chegaram a essa conclusão devido a uma linha branca pintada na parede, que poderia indicar o fluxo de água.

Os arqueólogos envolvidos na descoberta começaram a estudá-la e apontam que é provável que o local não tenha passado por restauração desde que foi construído no período Edo, entre os anos de 1603 e 1867. Além disso, também aponta-se que as paredes de pedra foram enterradas em por volta de 1600.

Crédito: Divulgação/Mainichi - Natsuki Nishi

 

Ao Mainichi Shimbun, um funcionário do governo do distrito de Chiyoda afirmou que o impressionante achado arqueológico "nos permite examinar as técnicas de construção de paredes de pedra da época".

As escavações, realizadas para a reforma do museu local, aconteceram entre novembro e dezembro do ano passado. Agora, as descobertas estão sendo divulgadas ao público e estudadas pelos pesquisadores locais. Ademais das paredes, foram encontrados artefatos históricos que também serão avaliados. 

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.