Notícias » Escócia

Escócia elege sua mais significativa descoberta arqueológica de 2020

A pesquisa vencedora teve início em 2011 e só foi finalizada após quase uma década; confira!

Alana Sousa Publicado em 14/12/2020, às 15h30

O morro forte Tap O 'Noth
O morro forte Tap O 'Noth - Divulgação

Em maio deste ano, pesquisadores encontraram vestígios de que os povos pictos, que habitaram a Escócia entre os séculos 5 e 11, também estabeleceram um assentamento no topo da colina Tap O 'Noth, cuja elevação atinge 563 metros. A informação havia sido divulgada pelo portal The Northern Scot, que agora também fez outra revelação importante.

A expedição, liderada pelo professor escocês Gordon Noble, foi aclamada como a mais significativa descoberta arqueológica do país deste ano. Levando ao pé da letra a descrição do estudioso sobre o passado que ele conseguiu recriar: “os resultados foram simplesmente incríveis”.

Em maio, Noble anunciou que, com amostras coletadas da região e datadas por radiocarbono, foi possível concluir que havia cerca de 800 cabanas nas proximidades, contrariando outras teses anteriores de que o local havia sido habitado antes dos pictos chegarem. 

“Por causa da escala do forte e sua localização ao lado de uma colina nas margens do Cairngorms, alguns estudiosos sugeriram ocupação datada de uma época em que o clima era mais quente, possivelmente durante a Idade do Bronze”, disse Gordon. “Eles mostram que o enorme forte datava do quinto ao sexto século e que foi ocupado ao mesmo tempo em que o complexo de elite no vale da fazenda Barflat” — uma das maiores fortalezas medievais do país.

O estudo é de grande importância, pois, como explica o pesquisador, "anteriormente, supúnhamos que seria necessário chegar ao século 12 na Escócia antes que os assentamentos começassem a atingir esse tamanho”. Ao celebrar sua descoberta, o homem também enfatizou que ainda há muito o que aprender.


Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.