Notícias » Paleontologia

Escorpiões gigantes aterrorizavam as águas da Austrália há 541 milhões de anos

Muito peculiares, esses aracnídeos aquáticos pré-históricos chegavam a medir até 2,5 metros de comprimento

Vanessa Centamori Publicado em 06/07/2020, às 13h01

Ilustração do escorpião marinho gigante
Ilustração do escorpião marinho gigante - Dimitri Siskopoulos/Wikimedia Commons

As águas costeiras da Austrália já eram assombradas por gigantes escorpiões marinhos há 541 milhões de anos. Da ordem dos Euriptéridos, eles tinham até 2,5 metros de comprimento e eram ancestrais dos aracnídeos mais modernos. 

A descoberta sobre esses predadores foi feita em um estudo, conduzido por pesquisadores locais, e publicado na Revista Gondwana Research. Segundo a pesquisa, os escorpiões pré-históricos viveram na Era Paleozoica, que terminou há 252 milhões de anos.

Fóssil de escorpião gigante pré-histórico/ Crédito: H. Zell / Wikimedia Commons

 

Embora muitos desses aracnídeos crescessem bastante, outros só chegavam a alguns míseros centímetros. Dos seis grupos analisados pelos pesquisadores, apenas o fóssil de um único espécime estava completo — esse animal especificamente tinha só 5,7 centímetros de comprimento. 

No entanto, acredita-se que a maioria dos escorpiões-do-mar seja da variedade gigantesca. Não se sabe o que compunha a dieta desses animais, mas somente que eles caçavam com suas enormes garras, esmagando suas presas entre "dentes" característicos e pernas espinhentas.

Os escorpiões aquáticos viviam não só na Austrália, como também há registros anteriores da espécie na Nova Zelândia, Índia, Antártica e partes da África e América do Sul. Os maiores e os mais fortes deles se dispersavam pelo já extinto supercontinente de Gondwana.