Notícias » Crime

Espanhol é condenado a 15 anos de prisão, após esquartejar e comer a própria mãe

A Justiça de Madri declarou que o réu estava em posse de "suas faculdades mentais no momento dos fatos"

Giovanna Gomes, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 16/06/2021, às 08h05

Imagem ilustrativa de uma pessoa com uma faca
Imagem ilustrativa de uma pessoa com uma faca - Imagem de niekverlaan por Pixabay

Um tribunal de Madri julgou ontem, 15, um homem que esquartejou e comeu partes do corpo da própria mãe. Considerando que o réu estava em posse de "suas faculdades mentais no momento dos fatos", a Justiça decidiu condelá-lo a 15 anos e cinco meses de prisão. As informações são do UOL.

O "canibal de Ventas", como é conhecido Alberto S.G., teria cometido os crimes contra a mãe ainda no início de 2019. Na época, os dois tiveram uma discussão no apartamento em que moravam em Las Ventas, próximo à praça de touros de Madri, na Espanha.

Na ocasião, o homem estrangulou a idosa de 69 anos e, em seguida, arrastou o cadáver para seu quarto. Utilizando uma serra de carpinteiro e duas facas de cozinha, Alberto começou a cortá-lo para fazê-lo desaparecer.

"Uma vez esquartejado o corpo, o acusado foi se alimentando em algumas ocasiões durante 15 dias dos restos cadavéricos, guardando outros restos em vários recipientes plásticos pela casa e dentro da geladeira", disse a promotoria. Alguns restos ainda foram colocados em sacos plásticos e jogados no lixo.

Um policial afirmou que o suspeito admitiu ter comido algumas partes do corpo cruas, outras cozidas e chegou até mesmo a dar restos ao cachorro. Em fevereiro daquele ano, o então suspeito foi detido após uma amiga da vítima ter denunciado seu desaparecimento.

Ontem, mais de dois anos depois, Alberto S.G. foi condenado a 15 anos de reclusão por homicídio com agravante de parentesco, e mais cinco meses pelo crime de profanação de cadáver. Além disso, o canibal ainda terá de pagar uma indenização de 60.000 euros ao irmão.