Notícias » Civilizações

Espécie de hominídeo desconhecida intriga cientistas

O novo estudo coloca em dúvida a certeza dos paleontólogos, que acreditavam que pelo menos seis espécies de hominídeos coexistiram na Terra

Isabela Barreiros Publicado em 04/03/2020, às 13h57

Esqueletos de diferentes espécies
Esqueletos de diferentes espécies - Divulgação/BBC

Uma nova pesquisa publicada na revista científica Science revelou a existência de uma espécie de hominídeo arcaico, considerada “fantasma”, presente no DNA de populações africanas da Nigéria, Serra Leoa e Gabão. Não conhecida anteriormente, a descoberta intrigou os cientistas responsáveis.

Segundo estudos anteriores, paleontólogos chegaram à certeza de que existiam seis espécies de hominídeos coexistindo na Terra. No entanto, o recente achado fez com que isso fosse colocado em questionamento. O genoma dessa espécie misteriosa não foi encontrado em outras, como no DNA do Homo sapiens, nem dos Neandertais.

O material genético arcaico foi encontrado em variações genéticas no DNA dos Yorubas e Esans da Nigéria, o Mendé da Serra Leoa e povos no Gabão. Os professores da Universidade da Califórnia em Los Angeles, Arun Durvasula e Sriram Sankararaman, afirmaram que isso só pode ter acontecido devido à herança desses genes “fantasmas”.

O desafio para os cientistas, porém, é que, até onde se sabe, não há registro fóssil dessa linha humana. Por isso, a desconhecida e extinta espécie segue a instigar os responsáveis pela pesquisa.