Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Espécies de 'crocodilos-gigantes' que devoravam ancestrais humanos são descobertas

Com quase 4 metros, os répteis foram alguns dos maiores desafios para vida humana durante período

Alan de Oliveira | @baco.deoli, sob supervisão de Isabela Barreiros Publicado em 16/06/2022, às 10h49

Foto ilustrativa de crocodilo no mar - Getty Images
Foto ilustrativa de crocodilo no mar - Getty Images

Na Universidade Iowa, localizada nos Estados Unidos, pesquisadores anunciaram  a descoberta de duas espécies de crocodilos que vagavam pelo leste da África entre 18 milhões e 15 milhões de anos atrás, em artigo publicado no começo de junho na revista  científica Anatomical Record.

Denominados “crocodilos anões gigantes”, o nome foi dado pelo fato de seu escopo ser muito parecido com a espécie de crocodilos anões que vivem atualmente na África Central e Ocidental, com a diferença de que estes são muito maiores, chegando a 3,6 metros de comprimento, enquanto os anões não passam de 1,5 m.

“Esses foram os maiores predadores que nossos ancestrais enfrentaram. Eles eram predadores oportunistas, assim como os crocodilos são hoje. Teria sido muito perigoso para os humanos antigos ir em frente ao rio para se refrescar”, relata Christopher Brochu, professor do Departamento de Ciências da Terra e do Meio Ambiente de Iowa e autor do artigo.

As espécies recém-descobertas foram batizadas de Kinyang mabokoensis e Kinyang tchernovi. Em suas características, são notórios os focinhos curtos e profundos e dentes grandes e cônicos. Suas narinas se abriam um pouco para cima e para a frente. Eles passavam a maioria do tempo na floresta, e não na água, esperando para emboscar presas.

Eles viveram no Vale do Rift da África Oriental, em trechos do atual Quênia, no início do período Mioceno Médio, desaparecendo por volta do fim de um período chamado Mioceno Climático Optimum, cerca de 15 milhões de anos atrás, segundo o portal Olhar Digital.

Efeitos das mudanças climáticas na espécie

Ainda no estudo, Brochu atribuiu a extinção dessas espécies às mudanças climáticas que causaram menos chuvas na região. Esse fenômeno fez as florestas diminuírem gradualmente, dando lugar à campos e áreas de savana mista. Isso não seria bom para as espécies, que necessitavam da floresta para caça e criação de seus ninhos.

“Os crocodilos anões modernos são encontrados exclusivamente em áreas úmidas florestadas. A perda de habitat pode ter provocado uma grande mudança nos crocodilos encontrados na região”, explica Brochu.

Veja fotos da estrutura óssea da espécie descoberta:

Desenho de estrutura óssea / Crédito: Divulgação/Anatomical Record

 Desenho de estrutura óssea  / Crédito: Divulgação/Anatomical Record

Comparação com a espécie crocodilo-anão / Crédito: Divulgação/Anatomical Record

Comparação com a espécie crocodilo-anão / Crédito: Divulgação/Anatomical Record