Notícias » Arqueologia

Esqueletos da Era Medieval revelam evidências sobre o início da sífilis na Europa

Para os cientistas, os restos mortais encontrados na Lituânia mostram uma parte desconhecida da história

Penélope Coelho Publicado em 12/06/2020, às 13h00

Restos mortais na Lituânia
Restos mortais na Lituânia - Divulgação

De acordo com o estudo publicado pela revista científica Scientific Reports, um grupo de cientistas descobriu um novo indicativo de que algo muito parecido com a sífilis tenha surgido há muito tempo, na Europa Medieval.

Os pesquisadores analisaram um local conhecido por seus enterros em massa, em Vilnius, Lituânia. A região abrigou o corpo de diversas pessoas que acabaram morrendo em decorrência da Peste Negra, doença que assolou a Europa, em meados do século 14.

A sífilis é uma infecção bacteriana, geralmente transmitida pelo contato sexual — e ficou conhecida por ter surgido muitos anos depois, em 1495. Através da análise no genoma dos restos mortais, os pesquisadores encontraram vestígios de uma condição muito parecida com a sífilis moderna, presente no esqueleto de uma mulher — que foi enterrada no cemitério de Vilnius.

"Foi impressionante encontrar vestígios dessa doença em um esqueleto histórico porque a preservação molecular em ossos antigos é conhecida por ser problemática", afirmou Kirsten Bos, líder do grupo de Paleopatologia Molecular no Instituto Max Planck.

Para a pesquisadora, a origem da sífilis continua sendo um enigma, mas, essa descoberta pode ajudar na montagem de uma linha do tempo sobre enfermidades no continente europeu “A ecologia das doenças na Europa medieval é claramente mais complexa do que pensamos", finalizou Bos.