Notícias » Estados Unidos

Estadunidense é presa por manter o corpo da avó em freezer durante 15 anos

O crime consistia em esconder o cadáver para continuar recebendo a previdência social da idosa

Isabela Barreiros Publicado em 30/05/2020, às 12h16

Cynthia Black, de 61 anos
Cynthia Black, de 61 anos - York County Sheriff's Office

Na Pensilvânia, nos Estados Unidos, uma mulher foi presa acusada de manter o corpo da avó em um freezer. O cadáver ficava no porão, consolidando um esquema arquitetado pela família para continuar recebendo os benefícios da previdência social da idosa durante 15 anos.

Cynthia Black, de 61 anos, afirmou que precisava da renda mensal de US $ 1.765 destinados a Glenora Delahay, que teria morrido em março de 2004, aos 97 anos. Segundo o jornal The Philadelphia Inquirer, a mulher chegou a receber mais de US $ 186.000 do governo federal devido à estratégia.

Desde a morte de Delahay, o dinheiro estava sendo transferido para contas usadas por Cynthia, sua mãe Glenora Waltzinger, que morreu em 2011, e Glenn Black Jr. Eles viviam na cidade de Ardmore, no estado de Oklahoma, e se mudaram para Dillsburg, na Pensilvânia, em 2007.

A família, ao dirigir-se para o distrito a 160 quilômetros de distância, ainda carregou o corpo da idosa. Em 2018, eles deixaram a casa, cuja hipoteca havia sido paga com o dinheiro da previdência social. Glenn foi preso por agressão e Cynthia simplesmente deixou a casa.

No entanto, em fevereiro do ano passado, duas mulheres foram visitar a residência para compra-la. Ao adentrarem no porão, encontraram o freezer contendo restos mortais dentro de sacos de lixo pretos. A antiga residente foi presa na última quarta-feira, 27, sob acusações de roubo, posse ilegal, recebimento de bens roubados e abuso de um cadáver.