Notícias » Arqueologia

Estatuetas da Idade do Gelo, feitas de marfim amolecido, intrigam pesquisadores na Sibéria

Os artefatos podem ter sido brinquedos ou até mesmo uma ‘forma de arte paleolítica’, representando animais como urso e mamute

Isabela Barreiros Publicado em 07/01/2021, às 07h00

Uma das estatuetas analisadas
Uma das estatuetas analisadas - Divulgação - Evgeny Artemyev

No começo dos anos 2000, pesquisadores encontraram estatuetas curiosas no sítio arqueológico Afontova Gora-2, em Krasnoyarsk, na Sibéria. Depois de anos, elas finalmente começaram a ser analisadas por especialistas lideradas por Evgeny Artemyev, que trabalha no local há mais de 30 anos.

Os objetos foram desenvolvidos há mais de 12 mil anos, durante a Idade do Gelo, a partir de de marfim e partes esponjosas de ossos de mamutes e animais parecidos. No entanto, o que intrigou os arqueólogos foi o método usado pelos indivíduos, que aparentemente amoleceram o marfim para moldá-lo conforme desejado.

Crédito: Divulgação - Evgeny Artemyev

 

“A presa de mamute foi amolecida a ponto de se parecer com a massa de farinha dos dias modernos. Não sabemos ainda como os povos antigos conseguiram isso”, disse Artemyev. “Nos itens podemos ver vestígios de instrumentos de pedra e os fluxos da substância antes de endurecer. Isso significa que a presa amoleceu significativamente, a consistência era viscosa”.

Os pesquisadores não sabem ainda como eles desenvolveram a habilidade de suavizar o marfim, mas também não definiram se as estatuetas eram ferramentas ou decorações, podendo ser até mesmo brinquedos. Uma delas se parece com um urso, e outra com um mamute, por exemplo.

Crédito: Divulgação - Evgeny Artemyev

 

“Quando você olha para eles em ângulos diferentes, eles se parecem com diferentes tipos de animais. É possível que esta seja a nova forma de arte paleolítica, da qual a comunidade científica internacional ainda não tenha conhecimento”, explicou o pesquisador.