Notícias » Arqueologia

Este é o rosto de um neandertal de 50 mil anos

Reconstrução facial em 3D foi feita a partir de osso fossilizado de Krijn, primeiro neandertal encontrado na Holanda

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 13/09/2021, às 13h00

Reconstrução facial do neandertal Krijn
Reconstrução facial do neandertal Krijn - Divulgação/Servaas Neijens

Artistas paleoantropológicos foram responsáveis por dar rosto ao osso fossilizado do primeiro neandertal encontrado na Holanda. No último dia 9, Adrie e Alfons Kennis apresentaram o resultado da reconstrução facial em 3D que mostrou pela primeira vez o rosto do neandertal apelidado de Krijn.

Segundo informações do Museu Nacional de Antiguidades da Holanda, o projeto foi realizado a partir do pequeno fragmento de osso que fazia parte do crânio do indivíduo. Ele estava localizado na área da sobrancelha de Krijn, um exemplar impressionante.

Procedimento da reconstrução facial / Crédito: Divulgação/Kennis &amp/Kennis Reconstructions

 

Em um vídeo divulgado no canal do Youtube do museu, Adrie Kennis, um dos responsáveis pela reconstituição, disse que “por sorte, é uma peça bastante distintiva, que tem uma estrutura bem grossa e redonda”; por isso, foi possível usá-la para o desenvolvimento do projeto da reconstrução facial.

A partir do osso fossilizado, os pesquisadores perceberam que o indivíduo, que viveu há pelo menos 50 mil anos na pré-histórica região de Doggerland, apresentava um caroço em cima da sobrancelha direita. Tratava-se de um tumor benigno que já foi observado em neandertais.

O osso fossilizado do neandertal / Crédito: Divulgação/Servaas Neijens

 

Além disso, o estudo contou também com a comparação feita com outros esqueletos de neandertais e descobertas recentes sobre olhos, pele e cabelo dos nossos antepassados. Em conjunto, o material possibilitou a elaboração de imagens digitais de como Krijn teria sido em vida.

O trabalho foi realizado por cientistas da Universidade de Leiden, na Holanda, e do Instituto Max Planck, na Alemanha. O fóssil usado para a reconstrução facial e o resultado do projeto ficarão em exibição no Museu Nacional de Antiguidades da Holanda até 31 de outubro deste ano.

Confira o vídeo do museu sobre a reconstrução facial.