Notícias » Arqueologia

Este é o rosto de uma guerreira viking que viveu há mais de 1.000 anos

O crânio da mulher apresentava uma cavidade ocasionada por um golpe de espada. No entanto, os pesquisadores não têm certeza se o ferimento na cabeça foi o que ocasionou a sua morte

Fabio Previdelli Publicado em 04/11/2019, às 10h56

Reconstrução de rosto de guerreira viking
Reconstrução de rosto de guerreira viking - National Geographic

Por meio da tecnologia de reconhecimento facial, cientistas recriaram o rosto de uma guerreira viking que viveu há mais de 1.000 anos. Eles basearam seu trabalho em um esqueleto de uma mulher que havia sido encontrado em um cemitério viking em Solør, na Noruega, e agora é mantido no Museu de História Cultural de Oslo.

Embora, na época, os restos mortais da mulher tenham sido encontrados enterrados junto com armas, os pesquisadores pensaram não se tratar de uma guerreira “simplesmente porque ela era uma mulher”, explicou a arqueóloga Ella Al-Shamahi em entrevista ao The Guardian.

O corpo estava cercado por armas, incluindo flechas, uma espada, uma lança e um machado. Além disso, o crânio da mulher apresentava uma cavidade ocasionada por um golpe de espada.

Ela foi colocada em seu túmulo com a cabeça apoiada em um escudo. No entanto, os pesquisadores não têm certeza se o ferimento na cabeça foi o que ocasionou a morte da guerreira viking.

Al-Shamahi disse que essa “é a primeira evidência já encontrada de uma mulher viking com ferimento de batalha”. Ela ainda acrescentou: “Estou muito empolgada porque esse rosto não é visto há mil anos... De repente, ela se tornou extremamente real”.

A arqueóloga Ella Al-Shamahi olhando o crânio da guerreira viking / Crédito: Eloisa Noble / National Geographic

 

Embora a reconstrução não seja 100% precisa, Caroline Erolin, professora no Centro de Anatomia e Identificação Humana da Universidade de Dundee, disse que o rosto foi reconstruído anatomicamente a partir dos músculos e camadas da pele. “A reconstrução nunca é 100% precisa, mas é suficiente para gerar reconhecimento de alguém que os conhecia bem na vida real”.

Além da reconstrução facial, os pesquisadores usaram a mesma tecnologia para recriar o túmulo da mulher, incluindo a colocação de todas as armas com as quais ela foi enterrada.


Saiba mais sobre os vikings;

1. Dicionário de História e Cultura da Era Viking, de Johnni Langer (2018) - https://amzn.to/2WJGieJ

2. Vikings: Noite Em Valhala, de Eduardo Kasse (2019) - https://amzn.to/2WIRXKM

3. Abominação: Os vikings estão chegando, de Gary Whitta (2017) - https://amzn.to/2WLCzxA

4. Mitologia Nórdica, de Neil Gaiman (2017) - https://amzn.to/34yTVjT

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página. ​