Notícias » Europa

Estudo aponta quanto tempo o Vesúvio levou para matar cidadãos de Pompeia

Realizado pela Universidade de Bari, a lava não é apontada como a principal causadora das mais de 2 mil mortes

Wallacy Ferrari, com supervisão de Alana Sousa Publicado em 23/03/2021, às 13h00 - Atualizado às 15h35

Fotografia de Pompéia com Monte Vesúvio ao fundo
Fotografia de Pompéia com Monte Vesúvio ao fundo - Wikimedia Commons

Um novo estudo feito por pesquisadores do Departamento de Ciências da Terra e Geoambientais da Universidade de Bari, na Itália, em parceria com o National Institute of Geophysics and Volcanology, resolveu uma dúvida antiga em relação ao tempo que as cinzas liberadas pelo Monte Vesúvio na Pompeia, em 79 d.C., demoraram para matar os cidadãos locais.

Como noticiou o Daily Mail, a análise concluiu que a erupção conseguiu acometer fatalmente os moradores da cidade em apenas 15 minutos, sendo a grande maioria pela liberação de gases nocivos, que conseguiram sufocar os habitantes em pouco tempo. A lava liberada acabou servindo como “onda de limpeza” dos corpos e estruturas da região.

A técnica que alcançou o tempo aproximado foi obtida com um material de “fluxo piroclástico”, resultado de uma solidificação de lava, cinzas e gases juntos. Com ele, os pesquisadores acrescentaram que a nuvem formada chegava a ter cem graus e era formada por gás carbônico, vidro vulcânico, cinzas incandescentes e cloretos.

O principal autor da pesquisa, Roberto Isaia, acrescentou o desespero da liberação: “Aqueles 15 minutos dentro daquela nuvem infernal devem ter sido intermináveis. Os habitantes não podiam imaginar o que estava acontecendo. Os Pompeia viveram com terremotos, mas não com erupções, então foram pegos de surpresa e varridos por aquela nuvem incandescente de cinzas”, disse ao The Guardian.