Notícias » Astronomia

Estudo dá nova explicação sobre como Vênus passou de planeta habitável para mortal

A hipótese ousada é levantada após pesquisas usando modelos evolutivos

Ingredi Brunato Publicado em 10/08/2020, às 15h45

Planeta vênus
Planeta vênus - Divulgação/ NASA

Michael Way e Anthony Del Genio, do Instituto Goddard de Estudos Espaciais da NASA, desenvolveram uma nova explicação sobre como Vênus, que teria sido um planeta habitável por três bilhões de anos, se tornou o detentor de uma atmosfera com nuvens de ácido sulfúrico e temperaturas altas o suficiente para derreter chumbo.

A teoria mais estabelecida sobre como esse processo ocorreu diz que o Sol teria lentamente aumentado seu calor até chegar a um ponto em que os oceanos de Vênus evaporaram, o que não só eliminou do planeta a condição básica para o desenvolvimento da vida como também acabou gerando uma reação em cadeia que levaria o planeta ao seu estado atual. 

Os autores do estudo, que foi publicado no Journal of Geophysical Research, oferecem uma hipótese diferente. Para eles, o Sol não tem nada a ver com a atmosfera escaldante de Vênus.

Novo estudo

Após desenvolverem modelos usando diversos tipos de topografias e quantidades variáveis de luz solar, os pesquisadores teorizaram que a cobertura de nuvens poderia ser o suficiente para manter a água do planeta na forma líquida. Em outras palavras, o que os modelos sugerem é que Vênus poderia ser habitável até os dias de hoje. 

Porém, evidentemente não é o que aconteceu. E o fator que mudou tudo, segundo o estudo, seriam eventos vulcânicos. Esses fenômenos extremamente destrutivos ocorrem quando rachaduras profundas se abrem na crosta terrestre, jogando lava e dióxido de carbono em grandes quantidades na superfície do planeta.

Só para dar uma ideia, a quantidade de lava produzida por apenas um desses eventos chega a pelo menos 100.000 quilômetros cúbicos durante o período de um milhão de anos. Muitas vezes, durante a juventude da Terra, essas erupções violentas causaram extinção em massa. E o que os pesquisadores propõem é que Vênus poderia ter passado por vários desses eventos ao mesmo tempo.

A transformação da atmosfera de Vênus em um ambiente tóxico para qualquer forma de vida teria sido, portanto, puro acaso - sendo inclusive algo que poderia ter acontecido com a Terra a qualquer momento. 

“Há algo romanticamente trágico em um mundo tão parecido com o nosso que foi morto”, comenta Paul Bryne, geólogo planetário, a respeito do estudo. “Quero tanto que seja verdade que um dia pousaremos e encontraremos fósseis de um mar raso de um ecossistema venusiano.”