Notícias » Arqueologia

Estudo em pinturas de templo japonês revela mistérios de arte antiga

Pesquisadores usaram câmeras infravermelhas para descobrir mais sobre imagens de oito santos budistas no Templo Saimyoji

Isabela Barreiros Publicado em 01/10/2020, às 15h08

Uma das pinturas encontradas no templo
Uma das pinturas encontradas no templo - Divulgação/Noriaki Ajima e Yukari Takama

Depois de encontrarem inúmeras pinturas que podem remontar de mais de 1.300 anos atrás, pesquisadores investigaram os seus maiores mistérios. As imagens foram descobertas nas colunas do corredor principal do Templo Saimyoji da Prefeitura de Shiga, no Japão.

As artes representavam oito santos budistas, mas estavam cobertas de foligem, o que dificultava sua visibilidade. Para conseguirem observar todos os detalhes das obras, especialistas usaram câmeras infravermelhas. 

Segundo o professor de história da arte da Universidade de Hiroshima, Noriaki Ajima, “isso ocorre porque quando você acende uma luz forte, pode ver algo como o rosto de um Bodhisattva". Na tradição budista, isso significa um “ser iluminado”.

“Geralmente, acredita-se que o Salão Principal de Saimyoji foi construído durante o período Kamakura e foi ampliado durante o período Nambokucho” explicou Ajima. No entanto, a pesquisa concluiu que a descoberta datava de muito antes.

"A primeira vez que vi uma fotografia infravermelha, fiquei muito surpreso ao descobrir que a qualidade da radiação era completamente diferente das que eu havia estudado desde a era Heian e, após uma investigação detalhada, cheguei à conclusão de que era a era Asuka [entre os anos 538 e 710]”, afirmou o professor. 

Agora, Ajima declara que essas pinturas podem ser algumas das mais antigas já encontradas no Japão. Ela está ao lado de outras artes muito importantes descobertas no Templo Horyu-ji, em Nara.