Notícias » Arqueologia

Estudo explora possibilidades de escanear sarcófagos em vez de abri-los

Usando da tecnologia de raio-X, os cientistas puderam, por exemplo, descobrir a faixa etária da múmia contida na tumba

Ingredi Brunato Publicado em 29/11/2020, às 11h00

Fotografia mostrando fragmento do sarcófago analisado pelo estudo, onde aparece retrato da múmia dentro dele
Fotografia mostrando fragmento do sarcófago analisado pelo estudo, onde aparece retrato da múmia dentro dele - Divulgação

Em um novo artigo científico publicado na Journal of the Royal Society Interface, uma equipe de pesquisadores relatou seus resultados ao usar raio-X para escanear sarcófagos de múmias

Essa é uma possibilidade para o futuro que, se explorada, pode fornecer aos arqueólogos alternativas na pesquisa das múmias que não envolvam necessariamente abrir os sarcófagos para conseguir estudar o que tem dentro. 

Nesse trabalho em específico, os pesquisadores escanearam uma múmia chamada  Hawara Portrait Mummy No. 4, usando para tanto uma máquina de tomografia computadorizada. 

A conclusão inédita a que chegaram foi que o sarcófago não continha uma mulher adulta, como antes pensado, e sim uma criança de cinco anos de idade — o que foi possível através da constatação que seus dentes permanentes ainda não haviam nascido. 

O motivo pelo qual foi achado que Hawara era adulta foi o rosto pintado em seu invólucro. Após essa descoberta, todavia, os especialistas acreditam que o artista poderia estar apenas imaginando qual seria a aparência da menina em sua vida adulta.

Sobre o Egito Antigo 

O Egito Antigo atrai e fascina muita gente no Brasil e no mundo, chamando a atenção não só dos fãs de história, antenados nas últimas descobertas, mas também entre pesquisadores ao redor do globo, que sonham em participar de escavações no país e declarar incríveis descobertas. 

Corriqueiramente são encontrados novos objetos ou investigados monumentos já conhecidos, mas nunca antes abertos, o que gera imagens incríveis de olhar, interiores de túmulos, grandes painéis, pinturas épicas e uma interessante gama de objetos com mais de 3.000 anos.

Além das grandiosas obras de engenharia e arquitetura, os antigos egípcios criaram o calendário, a pasta de dentes, a operação no cérebro e até palavras que usamos no Brasil

Apesar de todo o mistério que cerca grande parte dos feitos dos antigos egípcios, algumas realizações, descobertas e hábitos daquele povo estão hoje entre nós.