Notícias » Ciência

Estudo sugere que relação sexual entre neandertais e outras espécies acelerou sua extinção

A pesquisa avalia quais pontos foram determinantes para que a capacidade de reprodução dos neandertais fosse reduzida. Entenda!

Penélope Coelho Publicado em 03/08/2021, às 09h40

Reconstrução facial de um Homo neanderthalensis
Reconstrução facial de um Homo neanderthalensis - Divulgação/Wikimedia Commons/Hermann Schaaffhausen

De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade Aix-Marseille, na França, a relação sexual entre neandertais e outras espécies, como a Homo sapiens, pode ter sido determinante para a aceleração de sua extinção. As informações são do UOL.

Segundo o estudo, o sexo entre as espécies pode ter gerado um distúrbio no sangue dos bebês que nasceram dessas relações. A pesquisa sugere que tal enfermidade, chamada de 'doença hemolítica do feto e do recém-nascido', causava uma anemia fatal.

Com a doença, as mulheres não conseguiam ter gestações saudáveis, a situação ficava ainda pior após o nascimento do primeiro filho. Os cientistas acreditam que a dificuldade na procriação, acabou ajudando na extinção da espécie há 28 mil anos.

"Esses elementos podem ter contribuído para enfraquecer os descendentes a ponto de levá-los à morte, especialmente combinados com a competição com a Homo sapiens pelo mesmo nicho ecológico", pontuam os especialistas.

De acordo com os estudiosos, a doença em questão ainda existe, entretanto, hoje em dia é considerada muito rara, já que é diagnosticada em três a cada 100 mil gestações.

Confira a pesquisa completa aqui!